Uma colher de Nutella à boca, uma machadada no ambiente. A equação é trazida agora a público por Ségolène Royal, ministra francesa do Ambiente. A principal razão está no óleo de palma, um ingrediente crucial para produzir o doce e cuja exploração contribui para a desflorestação.

“Temos de replantar muitas árvores porque estamos a assistir a uma desflorestação massiva, que também contribui para o aquecimento global. Temos de parar de comer Nutella, por exemplo, porque é feita com óleo de palma e (por causa desse óleo), essas palmeiras estão a substituir outras árvores, levando a danos consideráveis no ambiente”, disse esta segunda-feira a responsável, numa entrevista ao canal francês Canal+.

A produção de óleo de palma implica que se transformem áreas de floresta tropical em plantações, esclarece um estudo, citado pela Time. Segundo o Guardian, a Malásia será um dos casos mais graves, já que 80% do óleo de palma usado pela marca vem daquele país — a criação das plantações já prejudicou em 12% a biodiversidade da região. Além disso, essas plantações aumentam as emissões de carbono. Os restantes 20% de óleo de palma vêm da Papua Nova Guiné, da Indonésia e do Brasil. 

A ministra com a pasta do Ambiente sugere que o doce seja feito com “outros ingredientes”. A Ferrero reagiu esta terça-feira e diz que está “consciente” das questões ambientais e compromete-se a gerir o óleo de palma “de uma forma responsável”. A companhia assegura que está a trabalhar na “transformação sustentável” do produto.