O grupo extremista autoproclamado Estado Islâmico (EI) reivindicou o atentado de sexta-feira contra um hotel perto de Sousse, na Tunísia, num comunicado difundido por contas ‘jihadistas’ na rede social Twitter.

“O soldado do califado (…) Abou Yahya al-Qayrawani (…) atingiu o objetivo no hotel Imperial”, matando cerca de 40 pessoas, “a maior parte delas nacionais dos Estados da aliança que combate o Estado do califado”, refere o texto.

O ataque visou “antros [de] fornicação, vício e apostasia na cidade de Sousse” e foi levado a cabo “apesar das apertadas medidas [de segurança] em torno destes antros na praia de Kantaoui”, acrescenta a nota.

O ataque de um homem armado contra o hotel Riu Imperial Marhaba, em Port El Kantaoui, na costa oriental, a 140 quilómetros a sul de Tunes e nos arredores da estância turística de Sousse, causou 39 mortos, segundo um balanço provisório citado pela AFP.

O atirador, que perpetrou o ataque vestido como um turista, foi morto pela polícia.