O PS vai mudar os cabeças-de-lista para as eleições legislativas de 2015. António Costa está esta noite a apresentar os nomes e os critérios aos dirigentes do partido e lançou já uma surpresa: Alexandre Quintanilha será o nome a dar a cara pelo Porto. António José Seguro foi “sondado”, não recebeu convite formal, mas não quis voltar à vida política.

António Costa já decidiu quem são os primeiros nomes a defender o PS nos distritos e não vai repetir nomes no mesmo distrito dos escolhidos por José Sócrates em 2009. Os nomes serão todos diferentes nos 18 distritos e nas ilhas, apenas haverá um antigo cabeça de lista, que mudará de distrito, Vieira da Silva, e pelo círculo da Europa mantém-se Paulo Pisco.

Para o segundo maior distrito do país, o secretário-geral do PS escolheu um independente, estreante nas lides políticas: Alexandre Quintanilha. O físico tem estado presente em algumas iniciativas do partido – a última foi a convenção nacional para a aprovação do programa onde teve lugar de destaque.

Quem não quis voltar a dar a cara pelo partido foi António José Seguro. António Costa disse na quinta-feira que Seguro não queria voltar à vida política, não se percebendo se teria chegado a ser convidado. Esta noite, à entrada para a Comissão Política, Álvaro Beleza garantiu que Seguro tinha sido sondado, mas que não queria voltar à Assembleia da República. “Na última conversa que tive com o secretário-geral do partido, António Costa, de facto, ele falou-me na questão, mas eu disse-lhe que há mais vida para além da política e que o António José Seguro está dedicado à sua vida académica e à família”, disse. Mais tarde esclareceu que o ex-líder não recebeu um convite forma. “Não houve convite nenhum a António José Seguro para nada. Tive várias conversas com o secretário-geral do PS, António Costa, e transmiti-lhe a minha opinião, mas não sou mensageiro”, disse.

Também António Costa fez questão de dizer que “não foi necessário” fazer o convite formal uma vez que “é publico e notório que António José Seguro optou por estar afastado da vida política, Devemos respeitar isso. Como militante do PS terá sempre lugar no PS. O PS contará sempre com ele”, disse no final da Comissão Política aos jornalistas.

Nas curiosidades desta lista está o facto de António Costa ter escolhido três ex-líderes da JS. Margarida Marques e José Apolinário, líderes imediatamente anteriores a António José Seguro, que são recuperados para a luta nacional, e Pedro Nuno Santos, depois.

“Não há um PS A e um PS B”

Na Comissão Política do partido foram ainda debatidos os critérios que as federações têm de seguir na escolha dos candidatos. E a direção de Costa está apostada em fazer passar a ideia que não está a excluir nem socráticos, nem seguristas. Quando questionada sobre o facto de não haver nem um segurista como cabeça de lista, Ana Catarina Mendes desdramatizou dizendo que “as listas terão em conta todo o PS. Não há um PS A e um PS B”, disse.  “Toda a história do PS e todo o PS unido. Devo frisar que uma das coisas que se tem sentido é enorme coesão e determinação para o combate que o PS está vocacionado”, disse.

Aos jornalistas, Ana Catarina Mendes explicou ainda o caso de Viseu, uma vez que era José Junqueiro, um dos homens próximos de Seguro que liderava as listas há várias eleições. Disse Ana Catarina que apenas em Viseu há uma candidata sem ligação ao distrito, Maria Manuela Leitão Marques: “São escolhas do Secretário-geral e há um ambiente saudável nas federações, que foram envolvidas. Em Viseu, é o único caso em que não em vínculo, mas que foi escolha da própria federação”, disse.

Na próxima semana, as federações distritais vão votar as listas do partido com todos os candidatos. Como critérios para as escolhas, a direção socialista definiu:

1 – “necessidade de renovação” – É preciso uma conciliação entre a veterania, como é o caso de Capoulas Santos em Évora, com o rejuvenescimento, Pedro Nuno Santos em Aveiro, disse Ana Catarina Mendes.

2 – “Crescente participação das mulheres na vida política” e necessidade de “não ter nos distritos pessoas que não tenham vínculo com esses distritos”, acrescentou.

3 – “Mobilizar pessoas ou que têm estado afastadas da vida política”, finalizou.

CABEÇAS DE LISTA

Lisboa – António Costa

Porto – Alexandre Quintanilha, físico e professor.

Açores – Carlos César, ex-presidente do Governo Regional dos Açores e presidente do PS.

Aveiro – Pedro Nuno Santos, deputado e presidente da Federação de Aveiro.

Braga – Manuel Caldeira Cabral, professor de Economia, fazia parte da equipa de António José Seguro.

Bragança – Jorge Gomes, ex-governador civil e membro do secretariado nacional do partido.

Beja – Pedro do Carmo, presidente da Câmara Municipal de Ourique,

Castelo Branco – Hortense Martins, deputada e presidente da Federação do PS de Castelo Branco.

Setúbal – Ana Catarina Mendes, deputada e presidente da Federação do PS de Setúbal

Viseu – Maria Manuel Leitão Marques, ex-secretária de Estado e coordenador da Agenda para a Década.

Évora – Capoulas Santos, ex-ministro e Presidente da Federação do PS de Évora.

Faro – José Apolinário, ex-líder da JS, ex-presidente da Câmara Municipal de Faro.

Guarda – António José Pacheco, professor, ex- governador Civil da Guarda e ex-presidente da Câmara de Gouveia.

Leiria – Margarida Marques, ex-líder da JS

Santarém – Vieira da Silva, ex-ministro, deputado.

Coimbra – Helena Freitas, professora, presidente da Sociedade Portuguesa de Ecologia e Vice-presidente da Federação Europeia de Ecologia.

Portalegre – Luís Testa, presidente da Federação do PS de Portalegre

Viana do Castelo – Tiago Brandão Rodrigues, investigador em Cambridge, que regressa para ser candidato

Vila Real – Ascenso Simões, ex-secretário de Estado e atual diretor de campanha do PS

Madeira – Bernardo Trindade, economista e ex-secretário de Estado e atual secretário nacional do partido

Europa – Paulo Pisco, deputado

Fora da Europa – Alzira Serpa Silva, adjunta da Presidência da Assembleia Legislativa dos Açores.

NOTA: Notícia atualizada com as últimas declarações de Álvaro Beleza que garantiu que Seguro não tinha recebido um convite formal e com as declarações de António Costa no final da reunião.