Há uma zona sem crateras na superfície de Plutão que está a intrigar os cientistas. O misterioso terreno, batizado de “planície Sputnik”, foi revelado pela New Horizons, sonda espacial que capturou as primeiras imagens em alta resolução do planeta anão.

“Este terreno não é fácil de explicar (…). A descoberta de algumas zonas sem crateras e de superfícies muito jovens em Plutão superam todas as nossas expectativas”, declarou o geólogo da missão Jeff Moore, que chamou a zona de “Sputnik” em honra do primeiro satélite a orbitar a Terra.

A Planície de Sputnik tem uma superfície irregular, separada por fendas, semelhante à forma como a lama seca. Algumas zonas da superfície irregular têm uma acumulação de materiais escuros, enquanto outras têm pequenas colinas. Esta zona está repleta de pequenos poços que, de acordo com os cientistas da NASA, foram formados devido a um processo de sublimação, em que o gelo se evapora diretamente, por ação solar.

Os técnicos da NASA ainda estão por apurar a verdadeira origem desta planície. Por enquanto, os cientistas especulam duas causas para o seu aparecimento: uma contração da superfície de Plutão ou devido à viscosidade do planeta anão. Caso seja a segunda razão, os cientistas culpam o calor no interior de Plutão como razão para a deformação das crostas de gelo de monóxido de carbono, metano e azoto.

O New Horizons sobrevoou Plutão apenas há três dias e as imagens captadas não param de chegar e surpreender. Até já foram feitas simulações animadas baseadas nas imagens capturadas pela sonda espacial. Um deles, feito pela NASA, mostra as montanhas Norgay e a Planície de Sputnik.