O PS exigiu hoje que o Governo “pare imediatamente” com os processos de privatizações nas áreas dos transportes, água e ambiente, alegando falta de legitimidade política, sobretudo após o Presidente da República ter marcado as eleições.

Esta posição foi transmitida por João Galamba, membro do Secretariado Nacional do PS, numa declaração em que se referiu ao facto de o chefe de Estado, Cavaco Silva, ter já assinado o decreto presidencial a convocar as eleições legislativas para dia 04 de outubro.

“A partir deste momento, impõe-se acrescidos deveres de reserva a todos os agentes políticos e órgãos de soberania. Está em marcha acelerada um processo de privatização nas áreas dos transportes, água e ambiente. O PS exige que estes processos parem imediatamente”, declarou o dirigente socialista.

O secretário de Estado dos Transportes acusou, por seu lado, o PS de ter “dualidade de critérios” em relação às privatizações conforme esteja no Governo ou na oposição, assegurando que o executivo continuará a criar condições para que as empresas cresçam.

“O PS tem sempre a intenção de privatizar quando está no Governo e opor-se às privatizações quando está na oposição, é uma dualidade de critérios de natureza política a que já estamos habituados”, afirmou o secretário de Estado dos Transportes, Infraestruturas e Comunicações, Sérgio Monteiro, na conferência de imprensa realizada no final da reunião semanal do conselho de ministros.

Sustentando que o PS exige que se pare com as privatizações este ano, tal como já o fez em 2011, 2012, 2013 ou 2014, Sérgio Monteiro assegurou que o Governo está determinado em criar condições – sempre que tal seja possível – para que as empresas cresçam.

Utilizando a CP Carga, SA como exemplo, o secretário de Estado dos Transportes disse acreditar que o compromisso financeiro de capitalização da empresa assumido pelo novo investidor “lhe dará condições de crescimento da sua atividade com paz e estabilidade laboral”.

A decisão do Governo vendeu 100% da CP Carga, empresa detida a 100% pela CP – Comboios de Portugal que se dedica ao transporte de mercadorias e de bens, à MSC- Operadores Ferroviários, foi anunciada ao final da manhã.