Pelo menos 55 civis morreram este sábado e dezenas ficaram feridos num bombardeamento da coligação de países árabes, liderada pela Arábia Saudita, no noroeste do Iémen, segundo informou a agência iemenita Saba, controlada pelos rebeldes ‘hutis’. Este foi mais um raide aéreo organizado pela coligação, que desde março tem bombardeado posições estratégicas dos xiitas rebeldes.

O ataque sucedeu durante a madrugada na cidade de Moca, localizada na costa do Mar Vermelho, na província de Taiz, e teve como objetivo um complexo residencial dos engenheiros da central elétrica da cidade.

Os feridos foram levados para receber tratamento em diferentes hospitais da cidade e também para centros médicos da localidade de Al-Hudeida, também na costa do Mar Vermelho, acrescentou a Saba.

Entretanto, e de acordo a AFP, que cita a agência de notícias saudita, a coligação de países árabes liderada pela Arábia Saudita decidiu declarar uma trégua humanitária de cinco dias que terá efeito a partir da meia-noite de domingo. O objetivo deste cessar-fogo é permitir entregas de ajuda humanitária e assistência às vítimas. No entanto, a coligação afirmou, em comunicado, que se reserva ao direito de responder a qualquer “atividade ou movimento militar” dos rebeldes.