Asia Bibi, cristã, foi condenada à morte por ter sido acusada de difamar o nome de Maomé numa discussão com trabalhadores muçulmanos. O episódio aconteceu em 2009 e Asia Bibi foi condenada por “blasfémia” em 2010. Em outubro de 2014, Asia fez um apelo ao Supremo Tribunal paquistanês para reconsiderar a decisão. O apelo foi negado.

Mas Asia não desistiu e voltou a apelar ao tribunal paquistanês, apelo que foi agora aceite. Três membros do painel do Supremo Tribunal ordenaram que a condenação à morte de Asia fosse suspensa, informou Saiful Malook, advogado da mulher, conta a CNN.

Asia é mãe de cinco crianças e vive na província de Punjab. Asia disse em 2010 numa conferência de imprensa que as acusações eram “mentiras inventadas por um grupo de mulheres” que não gostavam dela e, por isso, se quiseram vingar. Agora, o advogado da mulher conta que os relatos que constam do caso vão ser revistos, sendo que ainda não há data para nova decisão. Várias organizações de Direitos Humanos têm-se pronunciado contra as leis do Paquistão que atacam as minorias religiosas.