Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O grupo chinês Anbang terá feito uma oferta de 3,5 mil milhões pela compra do Novo Banco, com mais 700 milhões de euros para o aumento de capital que o banco que resultou da resolução do BES necessitará, mas pretenderá obter um desconto no preço a pagar caso o aumento de capital necessário tenha de ser maior, avança o Diário Económico.

O valor que o grupo chinês pretende pagar pelo Novo Banco resultaria num prejuízo de cerca de 1,4 mil milhões de euros ao Fundo de Resolução, a entidade do Estado através da qual foi feita a injeção de capital no Novo Banco.

Na reta final das negociações, este será o valor base que está a servir para as negociações com o Banco de Portugal, que pretende maximizar o encaixe com a venda do Novo Banco e não tem intenção de baixar o valor a receber pelo Fundo de Resolução para pagar o empréstimo do Estado.

Segundo o jornal, a Anbang e o Banco de Portugal estarão a discutir ainda o valor necessário para recapitalização do Novo Banco, sendo que a proposta chinesa incluirá ainda outras condicionantes, não especificadas pelo jornal, que podem também vir a reduzir o encaixe do Fundo de Resolução com esta venda.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR