O BCP seguia a subir 5,66% em bolsa, impulsionado pela informação de que a Polónia pode recuar na lei que permite converter os empréstimos em francos suíços para zlotys, minorando custos para os bancos a operar no país.

Pelas 15h00 (hora de Lisboa), as ações do banco subiam 5,66% para 6,37 cêntimos, liderando o PSI20 e contribuindo para a negociação do índice em terreno ligeiramente positivo (0,18%), contrariando a tendência de queda das principais praças europeias.

A impulsionar as ações do BCP está a informação de que o Governo da Polónia pode recuar nos termos da lei que vai regular a conversão dos empréstimos à habitação de francos suíços para a moeda local polaca (zlotys).

Na atual formulação da lei, são os bancos que suportam a maior parte dos custos da conversão cambial, sendo já várias as instituições financeiras que ameaçaram recorrer aos tribunais para contestar a medida.

Para o BCP, que detém a maioria do capital do polaco Bank Millennium, a entrada em vigor da lei, como está atualmente escrita, pode custar até 300 milhões de euros.

A contratação de empréstimos em francos suíços foi uma prática recorrente na Polónia ao longo dos últimos anos mas que, com a forte valorização da divisa helvética, está a penalizar os custos suportados pelas famílias que recorreram à banca para comprar casa.