Crime Informático

CEO do Ashley Madison demite-se

Noel Biderman, CEO do site de relações extraconjugais Ashley Madison, demitiu-se na sequência de um novo ataque de hackers à empresa. A informação divulgada insinua que Biderman terá sido adultero.

Durante o decorrer do escândalo, o Noel Biderman tem permanecido em silêncio

Twitter

Noel Biderman, CEO do site de relações extraconjugais Ashley Madison, demitiu-se na sequência de um terceiro ataque de hackers à empresa. A nova informação divulgada insinua que Biderman terá sido adultero e isso vai contra as entrevistas que o próprio deu em 2014.

“A partir de hoje, Noel Biderman, em acordo mutuo com a empresa, vai resignar ao seu cargo de CEO da Avid Life Media Inc e deixará de fazer parte da firma”, lê-se na declaração da Ashley Madison, divulgada no site. A declaração afirma que, até nomearem um novo CEO, a empresa será “dirigida pela equipa de gerência”.

Em julho, uma equipa de hackers, autointitulados Impact Team, roubaram (e divulgaram) mais de 23 gigabytes de informações pessoais pertences a cerca de 37 milhões de utilizadores do site Ashley Madison, que tem como slogan “A vida é curta. Tenha um affair”. Entre os documentos divulgados, constam arquivos e mensagens internas da empresa, inclusive do próprio Biderman, que já tinha assegurado nunca ter traído a sua mulher. Durante o decorrer do escândalo, o executivo tem permanecido em silêncio.

A demissão de Biderman, lê-se na declaração do Ashley Madison, foi feito “no melhor interesse da empresa”. Já a página de relações extra-conjugais garante que continuará a “prestar serviço” e a “dar apoio” aos “membros e dedicados funcionários”. De momento, o Ashley Madison está a ser processada por danos emocional, enquanto a polícia canadiana investiga dois suicídios alegadamente relacionados com o escândalo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições

Contagem decrescente /premium

Manuel Villaverde Cabral

O grande problema do PS será prometer o fim da «geringonça» sem que as muletas do governo – o PCP, o BE e os seus eleitorados – lhe venham a negar uma maioria que o PS já só poderá fazer com Rui Rio. 

China

Os chineses vestem Prada /premium

Diana Soller

Depois de quatro décadas de crescimento, consolidação e expansão económica internacional não acreditar que Pequim veio para ficar como importante ator no sistema internacional só pode ser uma ilusão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)