O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou o duplo atentado perpetrado contra uma mesquita xiita na capital iemenita, Sanaa, que fez pelo menos 28 mortos e 75 feridos.

O grupo radical sunita reivindicou o duplo ataque na rede social Twitter.

O EI – que reivindicou no passado atentados de características semelhantes – disse que um homem identificado como Qusai al-Sanaani fez-se explodir no interior da mesquita e que um veículo armadilhado foi estacionado nas imediações do templo, tendo explodido posteriormente.

Um anterior balanço do duplo atentado fornecido por fontes médicas dava conta de 20 mortos e 50 feridos.

A mesquita de Al Muayad está localizada no bairro de Jarraf, principal bastião do movimento rebelde xiita dos ‘huthis’ em Sanaa.

Os ‘jihadistas’ do EI, combatentes que iniciaram em junho de 2014 uma grande ofensiva e que se assumem como participantes numa guerra santa, proclamaram um “califado” nos vastos territórios que controlam na Síria e no Iraque.

A situação de conflito no Iémen acentuou-se em fevereiro último com a tomada da capital, Sanaa, pelas milícias xiitas huthis e a consequente fuga do Presidente iemenita Abdrabuh Mansur Hadi para a segunda cidade do país, Aden, e, perante o avanço dos rebeldes, para a Arábia Saudita.

Em meados de março, uma ofensiva militar conduzida por uma aliança árabe, liderada pela Arábia Saudita (sunita), iniciou raides aéreos para tentar travar o avanço das milícias xiitas.

Aden foi reconquistada em meados de julho aos rebeldes pelas forças leais ao presidente Abdrabuh Mansur Hadi.