A ciência comprova e aconselha: ir de férias faz bem à saúde. Vários estudos, realizados nas últimas duas décadas, garantem que tirar uns dias de folga traz mesmos benefícios para a saúde — a nível psicológico, mas também a nível físico.

Mas, se tem por hábito trabalhar dias a fio (ou anos) sem fazer uma pausa, fique a saber quais são os malefícios para a sua saúde:

Os malefícios para o corpo

Ao que parece, existe uma relação muito forte entre o trabalho em demasia e o risco de desenvolver problemas cardíacos. Dados recolhidos em 1991 mostram que as mulheres que trabalham em casa e que tiram férias uma vez de seis em seis anos têm o dobro da probabilidade de sofrerem ataques cardíacos ou de desenvolver um problema de saúde fatal do que as mulheres que fazem uma pausa, pelo menos, duas vezes por ano, refere a Quartz.

Um outro estudo, publicado no American Journal of Epidemiology em 2012, refere que trabalhar dez ou mais horas por dia aumenta em 80% a probabilidade de homens e mulheres sofrerem um ataque cardíaco, uma consequência que poderá estar relacionada com os níveis de stress psicológico e os problemas de saúde por eles causados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os malefícios para a mente

Se, por um lado, ir de férias faz bem ao corpo e à mente, por outro, trabalhar 365 dias por ano faz exatamente o oposto. De acordo com a Quartz, em comparação com quem trabalha entre sete a oito horas diárias, quem fica no trabalho durante mais de 11 horas tem uma maior propensão para desenvolver episódios clínicos de depressão. Mesmo que nunca os tenha tido.

Para além disso, segundo um estudo realizado por uma equipa de investigadores da Universidade de Uppsala, na Suécia, uma pessoa que tire férias regularmente pode mesmo contribuir para a melhoria da saúde mental daqueles que o rodeiam. Comparando os níveis de depressão do país, os cientistas descobriram que existe uma relação pequena mas “praticamente significativa” entre o período de férias e a diminuição da venda de antidepressivos.

Os malefícios para a produtividade

Quando está com dificuldade em resolver uma tarefa ou um problema, fazer uma pausa do trabalho é, muitas vezes, a melhor solução. E foi exatamente a esta conclusão que chegou um grupo de psicólogos da Universidade da Califórnia. De acordo com um estudo de 2012, a maioria das pessoas tem mais facilidade em resolver um problema depois de fazer uma pequena pausa. E a criatividade também é maior.

Por outro lado, trabalhar horas a fio pode produzir exatamente o efeito contrário. Um estudo de 2008 do Instituto Finlandês de Saúde Ocupacional, realizado ao longo de cinco anos, refere que as pessoas que trabalham 55 horas por semana (sendo que o normal são 40) têm um menor funcionamento cognitivo — o vocabulário é mais pobre e o raciocínio mais fraco.

Se ainda tem dúvidas quanto aos benefícios de umas longas férias longe do trabalho, um estudo realizado pela cientista comportamental Jessica Bloom garante que o efeito provocado por estas é “vital” e que se prolonga por algum tempo. Nas palavras da cientista, questionar a importância das férias “seria um bocadinho como perguntar: ‘porque é que dormimos se vamos ficar cansados outra vez?