Sempre que o assunto são dúvidas de beleza, a maioria das mulheres pergunta imediatamente coisas sobre a pele ou a maquilhagem. E apesar de as dúvidas sobre o cabelo serem facilmente respondidas, não são com tanta frequência feitas. O que nos traz ao cerne da questão: sabe realmente o que fazer com todos os produtos que existem no mercado? Se não sabia, vai passar a saber. Aquelas ideias de que o cabelo fica pegajoso com uma laca ou que um leave-in não faz nada e, por isso, não vale a pena usá-lo são — como é que havemos de dizer? — antiquadas.

Antes de mais, conhece bem o seu cabelo? E por conhecer referimo-nos à sua textura e ao resultado que quer. Porque querer mais volume não é a mesma coisa que querer caracóis definidos. Volume é para cabelos finos e caracóis definidos é para quem já os tem. Quem tem cabelo liso e quer criar algumas ondas e movimento não vai usar produtos para definir caracóis porque o resultado vai ser… nada. Provavelmente vai ficar com o cabelo pegajoso e com umas formas esquisitas. Se, no dia a dia, utiliza mais do que um ou dois produtos para o resultado que pretende, o mais certo é estar a fazer tudo errado. Porque usar os produtos certos — e um ou dois bastam — vai mudar a vida do seu cabelo. Vamos tentar?

Mousse

É uma espécie de espuma e todas as mulheres a podem usar para dar volume mas é o produto ideal para cabelos ondulados ou encaracolados porque vai dar definição. É preciso distinguir entre as mousses de volume e as de modelar porque os resultados são diferentes. As de volume vão levantar as raízes, soltar as ondas e devem ser aplicadas nos fios húmidos. As de modelar são próprias para penteados mais montados e devem ser aplicadas já no cabelo seco antes de enrolar com o ferro.

Laca

As lacas são normalmente associadas aos penteados das nossas avós mas essa é uma ideia pré-histórica. Ao contrário do que pensa, não deixam resíduos, não colam o cabelo nem o deixam com efeito molhado ou pegajoso. Uma boa laca é muito fina e funciona como uma bruma que, ao escovar, acaba por sair. Servem para fixar um penteado e utilizam-se como acabamento (ao contrário dos sprays fixantes de que falamos em baixo). São excelentes produtos para se ter na mala e usar no dia a dia. Para quem estica o cabelo, por exemplo, uma vaporização de laca ajuda a mantê-lo liso durante o dia. Dica de aplicação: utilizar a cerca de 30 centímetros de distância e de forma uniforme.

Óleo

As fórmulas em óleo tornaram-se famosas após o óleo de argan. Hoje em dia já existem óleos para tudo e mais alguma coisa e são pensados especificamente para tratar o cabelo. Há óleos para combater o frizz, tratar os cabelos ressequidos, para manter o alisamento, para hidratar, para cabelos pintados… E não, não deixam o cabelo oleoso. O ideal é aplicar nos comprimentos e pontas após o secador.

Cera

É um creme de consistência forte e densa que vai modelar os fios. É recomendada para quem tem cortes pixie (muito curtos como Anne Hathaway ou Jennifer Lawrence já tiveram) porque vai definir, dar textura e forma, permitindo criar aquele efeito de cabelo com movimento. Dada a sua consistência dura, e para ser mais fácil de trabalhar com cera, o truque passa por tirar uma noz pequena, espalhá-la nas mãos para a aquecer e, depois, aplicar no cabelo seco.

View this post on Instagram

Jennifer Lawrence for Dior #jenniferlawrence #dior

A post shared by jenniferlawrence (@jenniferlawrencelives) on

Protetor de calor

Podem vir em spray ou óleo, por exemplo, e são, como o nome indica, produtos térmicos para serem usados antes de secar ou da utilização de ferros quentes porque vão proteger os fios dos danos causados por estes aparelhos. Além de protegerem quando se seca ou alisa o cabelo, ajudam a desembaraçar, não deixam resíduos e deixam os fios brilhantes e suaves.

Sérum

Tal como os séruns de rosto, os de cabelo têm alta concentração de ingredientes para hidratar, proteger e dar resistência aos fios. Funcionam como um finalizador que, além de dar brilho, auxilia na protecção e reparação, sendo um produto prático e eficiente. Hoje em dia já há vários tipos de séruns — uns para serem aplicados desde a raiz, outros só nos comprimentos, uns em cabelo seco, outros em cabelo húmido — mas todos têm a mesma filosofia: agir de fora para dentro, formando uma capa de proteção.

Leave-in

Estes produtos viraram moda e são, como diz a tradução, produtos para deixar ficar no cabelo. Teoricamente, um leave-in é uma fórmula que se aplica no cabelo sem enxaguar, após a lavagem. E são um aliado indispensável mesmo em quem não presta grande atenção aos cabelos: hidratam, facilitam o penteado e ajudam a modelar os fios. Se não fizer mais nada além de lavar mas utilizar, no fim, um produto destes, já está a fazer muito pelo seu cabelo. Hoje em dia já existem leave-in específicos para vários propósitos: com protetor de calor para quem usa ferros, com efeito anti-frizz, com proteção solar para o verão… o ideal será escolher um de acordo com o que o seu cabelo mais precisa.

Máscara VS Condicionador

Esta é uma dúvida que praticamente todas as mulheres têm. Os condicionadores são uma espécie de finalizante da lavagem e vão fazer uma hidratação externa, deixando o cabelo macio para pentear. Por outro lado, a máscara vai atuar internamente e é um creme intensivo que dá um choque de hidratação — a sua utilização deve ser pontual (normalmente, uma a duas vezes por semana como forma de tratamento). A confusão surge quando se tem de misturar os produtos mas a solução é muito simples.

Os condicionadores têm um pH mais baixo que o do champô e fecham as cutículas dos fios. Isto é óptimo no dia a dia porque o nosso cabelo fica protegido das agressões externas. Mas o objetivo da máscara é penetrar nos fios e o condicionador, ao selar as cutículas, vai impossibilitar esta acção. Daí que nos dias que a utilizar pode dispensar o condicionador e usar directamente a máscara após a lavagem. O que é que acontece se usar os dois? Os ativos da máscara não conseguem penetrar e, basicamente, ficam à superfície dos fios e a máscara torna-se inútil.

Spray

Os sprays poderiam ter todo um artigo só para si dado que cada vez mais estão a surgir novos tipos de sprays no mercado: fixadores, para dar brilho, volume, protetor de calor… a lista é enorme e como este é um produto prático de usar, acaba por ser a escolha da maioria das mulheres. Nota: um spray não é uma fórmula totalmente diferente dos outros tipos de produtos de que já falámos. Um leave-in ou um protetor de calor podem ser em spray e vão ter o mesmo efeito que um óleo leave-in ou um óleo protetor de calor, por exemplo. A diferença está no tipo de produto: há quem prefira leave-ins em óleos e quem prefira em spray. Vamos explicar os quatro tipos de sprays que são realmente diferentes de outras fórmulas:

  • Spray fixador — É utilizado para fixar penteados. Ao contrário da laca, que se utiliza no fim para fixar, o spray é para ser usado durante a execução do penteado para ajudar a trabalhar os fios e mantê-los no sítio certo.
  • Spray de brilho — Ideais para cabelos baços, vão dar brilho e luminosidade. São para ser utilizados com o cabelo seco ou após o penteado, como um finalizante. Usar muito, com a ideia de que quanto mais aplicar, mais brilhante vai ficar, é um mito: spray de brilho em excesso deixa, basicamente, o cabelo oleoso. E o mesmo se aplica aos óleos de brilho.
  • Spray de volume — Ao contrário das mousses que vão modelar, os sprays apenas vão encorpar as madeixas, dando a impressão de volume — ideal para quem tem cabelo muito fino e sem vida.
  • Spray texturizador São indicados para quem já tem ondas e quer criar textura e mais volume. Os mais conhecidos, neste momento, são os sprays com sal que vão criar aquele efeito de cabelo acabado de sair do mar.