O Presidente da República fez este sábado o habitual apelo ao voto contra a abstenção. Mas a diferença esteve na intensidade do apelo: de forma marcada, recomenda aos portugueses que “organizem as atividades que pensam realizar amanhã e reservem um espaço para o exercício do direito de voto”.

É a comunicação mais afirmativa de Cavaco nos seus mandatos: “Entre afazeres profissionais, compromissos familiares, assistir a jogos de futebol ou outras atividades desportivas e de lazer, não deixem de incluir a deslocação à secção de voto, entre as 8 da manhã e as 7 da tarde”. E termina com dramatismo, numa mensagem onde nem o mau tempo de amanhã ficou de fora: “Não faltem. É isso que vos peço. O futuro do país justifica que todos vão votar, mesmo que o tempo não ajude.”

“Altura crucial”. A abstenção não é solução

Para o Presidente, a escolha de amanhã é “determinante para o nosso futuro – e para o futuro dos nossos filhos” e acontecem “numa altura crucial para o País”.

Como disse aos Portugueses, quando marquei o dia das eleições, todos os atos eleitorais são importantes, mas este ato eleitoral é particularmente importante para o futuro de Portugal..

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

E aqui ficou um dos avisos do Presidente aos partidos: “Temos à nossa frente desafios muito complexos, que exigem de todos um grande sentido de responsabilidade”. O outro é repetido do discurso com que marcou a data das legislativas. “Das eleições para a Assembleia da República dependerá a formação do novo Governo. Não são admissíveis soluções governativas construídas à margem do Parlamento, dos resultados eleitorais e das forças partidárias“- um modo de dizer que não avançará com soluções fora do quadro parlamentar e que os resultados serão, para ele, o guião para a definição do novo Governo.

“A abstenção não é solução. Abster-se de votar é desistir do presente e abdicar do futuro. Quem opta pela abstenção, prescinde de ter uma voz ativa e de participar na construção de um Portugal mais desenvolvido e mais justo.”, rematou Cavaco Silva.

Para ler o discurso na íntegra, carregue à esquerda. Se preferir ouvir, tem aqui o link para a página do Presidente.

Documentos