Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Morreu na madrugada desta segunda-feira um piloto da American Airlines, enquanto comandava um voo noturno com 147 passageiros, que ligava Phoenix a Boston. O nome e a idade do piloto não foram revelados pela empresa. Embora as causas da morte sejam ainda desconhecidas, a CNN refere que a morte deveu-se a “doença”.

A morte do piloto levou a que tivesse de ser o co-piloto a controlar o avião. O co-piloto desviou a rota e aterrou em segurança em Syracuse, Nova Iorque, pouco depois das 07h00 locais (12h00 em Portugal).

https://twitter.com/HagerWBZ/status/651073816261738496/photo/1

Segundo o USA Today, os passageiros foram então recebidos pela segurança do aeroporto, que os informou que lhes arranjaria outra tripulação para os levar a Boston, sem adiantar as razões para a mudança. Só neste segundo voo, que chegou a Boston às 12h30 (17h30 em hora portuguesa), é que os passageiros foram informados daquilo que acontecera, relata o jornal.

Louise Anderson, uma das passageiras, contou ao NBC News que “não houve tempo para entrar em pânico” e que a American Airlines “tratou da situação de forma muito profissional”. Ross Feinstein, um porta-voz da American Airlines, afirmou ao USA Today: “Estamos incrivelmente tristes com este acontecimento, e estamos focados em apoiar a família e os colegas do nosso piloto”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR