Cristiano Ronaldo disse que o documentário biográfico, que hoje estreia, não vai surpreender quem o conhece pessoalmente, mas será uma oportunidade para os outros saberem como é a sua vida além de futebolista.

“Para as pessoas que me conhecem, não se vão surpreender. Eu sou assim, não mudo consoante as pessoas, o ambiente, com câmaras ou sem câmaras”, afirmou hoje em Londres, numa conferência de imprensa.

Mas o avançado do Real Madrid está consciente que para os fãs, para as pessoas que gostam ou não gostam dele “vão ter oportunidade de ver realmente que, para alcançar alguma coisa grande, tem de haver sacrifício e ajudas, obviamente, tem de ter uma família boa e amigos especiais”.

“É isso que praticamente vão ver no filme, a minha conexão com a família, com os amigos, com o meu filho, e os momentos que eu vivo na vida, intensos, fora do futebol e dentro do futebol também”, resumiu.

O documentário, com uma duração de 92 minutos, retrata a história desportiva e pessoal de Cristiano Ronaldo, em que as cenas da vida privada e as entrevistas inimistas com o vencedor de três Bolas de Ouro se sobrepõem às imagens de jogos de futebol.

No filme, são focadas as relações com o irmão Hugo Aveiro, a mãe Dolores, o agente Jorge Mendes e o filho Cristiano Júnior, bem como a ausência do pai de Cristiano Ronaldo, que morreu em 2005.

‘Ronaldo’ foi realizado por Anthony Wonke, que entre outros prémios foi galardoado com um BAFTA, atribuído pela academia britânica de televisão de cinema em 2008, pela série documental ‘The Tower: A Tale of Two Cities’.

Os produtores foram Paul Martin, James Gay-Rees e Asik Kapadia, este vencedor de dois prémios BAFTA, para o melhor filme britânico de 2003 com ‘The Warrior’ e para o melhor documentário de 2010 com ‘Senna’, tendo ainda recentemente sido elogiado pelo documentário sobre Amy Winehouse ‘Amy’.

Cristiano Ronaldo admite que expôs a vida privada, mas garantiu que que não se arrepende e que se divertiu com as filmagens.

“Foi estranho no início, mas senti uma boa química com o realizador e produtor”, garantiu.

O realizador revelou que sabia que o resultado seria ditado pelas limitações de tempo de Cristiano Ronaldo devido ao seu trabalho e que a história evoluiu de forma “orgânica”.

“Mas, depois de falar com a mãe, o irmão e o agente, apercebemo-nos que havia algo mais que podíamos fazer”, revelou Wonka.

De dezenas de horas de filmagens e imagens de arquivo, a seleção feita pela equipa deixou de fora parte da vida do futebolista, nomeadamente a relação com a antiga namorada Irina Shayk.

“Tínhamos demasiado material e tivemos de decidir”, justificou o produtor, Paul Lewis.

O documentário biográfico do futebolista Cristiano Ronaldo terá uma exibição única às 19:00 horas de hoje para mais de 300 cinemas em todo o mundo, dos quais 25 cinemas portugueses da rede NOS, que incluirá uma transmissão ao vivo da cerimónia de estreia em Londres, onde estará uma passadeira vermelha.

O filme será colocado à venda em 75 países no mesmo dia em formato DVD, Blu-Ray e para aluguer no espaço de videoclube dos principais operadores de televisão.

As versões em suporte DVD e Blu-Ray custarão 10 e 20 euros, respetivamente cenas extra, nomeadamente um vídeo que mostra a relação entre CR7 e o filho Cristiano Júnior.