Em 1980 John Lennon e Yoko Ono protagonizaram uma fotografia mítica para a capa da revista de música Rolling Stone. A foto ficou na história porque foi a última a ser tirada antes de o ex-Beatle morrer – Lennon foi assassinado poucas horas depois da sessão fotográfica – mas também pela polémica que suscitou, que não era nova no casal. Lennon e Yoko aparecem deitados, com o músico abraçado à japonesa e totalmente nu. A fotógrafa Annie Leibovitz, responsável pelo registo do momento, chegou a afirmar que queria que os dois estivessem sem roupa mas Yoko Ono terá ficado desconfortável com a situação. Pelo passado de ativismo e de luta pela paz dos dois, esta fotografia também se tornou num símbolo de harmonia e paz. Até aos dias de hoje, ao que parece.

john lennon

ROLLING STONE

É que agora a revista colombiana Soho inspirou-se na famosa foto do casal e promoveu uma celebração da paz e da reconciliação na Colômbia. E conseguiu uma coisa que a revista americana não conseguiu: colocar as duas protagonistas sem roupa.

A ousadia e originalidade consistiu em juntar uma antiga guerrilheira das FARC, Ana Pacheco, (organização de guerrilha de inspiração comunista e que luta pela implementação do socialismo na Colômbia, sendo considerada um grupo terrorista pelo Governo da Colômbia e dos Estados Unidos), e a antiga detetive, Isabel Londoño, que dedicou vários anos a perseguir e a combater a ação das FARC. Ou seja, não só a publicação conseguiu juntar os dois lados da barricada, como os juntou sem roupa e com as duas mulheres abraçadas. Mais harmonia e união do que isto são difíceis. 

Como conta o Huffington Post, a revista colombiana quis fazer uma “homenagem à reconciliação”, revelando também que no corpo da revista as duas mulheres falam um pouco sobre a vida de cada uma.

O mesmo jornal cita Alejandra Quintero, editora fotográfica da Soho, que refere que entre as mulheres “houve uma muito boa relação”, mesmo pertencendo a dois grupos que combateram entre si durante anos. E ainda bem que assim foi.