O gigante hotel Marriott International, com sede em Bethesda, vai comprar o Starwood Hotels & Resorts por mais de 12 mil milhões de dólares (mais de 11 mil milhões de euros), criando a maior cadeia de hotéis do mundo, conta o The Washington Post.

O Marriott International que tem cerca de 5.500 propriedades será agora a maior empresa, a possuir mais de 1 milhão de quartos de hotel, e formalizou um dos maiores negócios de sempre desde que o Blackstone Group comprou o Hilton Worlwide em 2007 por 26 mil milhões de dólares.

“Este é um evento transformador para o Marriot”, disse o presidente e chefe-executivo da cadeia de hotéis, Arne M. Sorenson.”Quando olhamos para a Starwood identificámos aspetos que complementam o negócio do Marriott”, acrescentou.

Arne M. Sorenson explicou que o Marriott foi atraído pela crescente presença internacional do Starwood, bastante popular entre os clientes mais jovens. O Starwood possui cerca de onze marcas, como por exemplo o St. Regis, Westin ou ainda o Sheraton.

O chefe executivo do Starwood, Adam Aron, explicou que hoje em dia é fundamental uma ampla distribuição de marcas e de hotéis a vários preços para se ser bem-sucedido no negócio da hotelaria. “Hoje em dia o tamanho importa”, disse Aron durante o briefing com os vários investidores.

A combinação das empresas irá reunir cerca de 30 marcas, mais de um milhão de quartos e quase 3 mil milhões de euros de receita anual. O Washington Post explica que a segunda maior unidade hoteleira seria o Hilton WorldWide, com sede em McLean, com 440 propriedades, 731 mil quartos e 10,5 mil milhões de dólares de receita anual.

Mas a compra da Starwood é vista por muitos analistas como uma redução na possibilidade de escolha para os consumidores já que a indústria hoteleira nos Estados Unidos é dominada por um conjunto de grandes cadeias. “Perder o Starwood resulta numa perda significativa para a competição”, disse o diretor do escritório de advogados Jeffer Mangels & Mitchell, em Los Angeles, Jim Butler. “Isto vai provocar uma grande mudança na indústria hoteleira”, acrescentou.

A fusão entre o Marriott e o Starwood permitirá uma maior rentabilidade e redução de custos anuais. Está previsto que o negócio esteja concluído em 2016, estando dependente da aprovação de acionistas e dos órgãos reguladores.