França aprovou esta quinta-feira uma lei que obriga os modelos, homens e mulheres, a confirmar que são saudáveis. Os modelos passam a ser obrigados a obter um atestado médico que garanta que a sua saúde, considerando o índice de massa corporal, é compatível com a profissão. Violações da lei poderão implicar uma pena de prisão até seis meses e uma multa no valor de 75 mil euros.

Mas há mais: foi igualmente aprovado que as fotografias editadas — por exemplo com Photoshop — tenham a partir de agora a indicação de que foram “retocadas”. Em causa estão imagens cujas silhuetas tenham sido alteradas de modo a parecerem “mais estreitas ou mais amplas”, cita o jornal britânico The Guardian. A ideia será, tanto quanto tudo indica, dar às pessoas uma perceção de beleza real.

Recorde-se que uma versão inicial da lei chegou a receber a desaprovação da indústria da moda por sugerir que fosse imposto às modelos um índice mínimo de massa corporal. Agora, segundo o parlamento francês, cabe aos médicos determinar se as e os modelos são ou não demasiado magros considerando vários critérios, como a idade, o sexo e a forma do corpo.

O Guardian escreve ainda que em França estima-se que existam 30 mil a 40 mil pessoas — a maior parte delas adolescentes — que sofrem de anorexia nervosa, um distúrbio alimentar com uma elevada taxa de mortalidade.