Luís Laginha de Sousa vai abandonar o cargo de presidente da Euronext Lisbon, a gestora da bolsa portuguesa, para “explorar outros interesses profissionais”. A bolsa portuguesa vai procurar um substituto nos próximos meses e, até que esse processo seja concluído, a solução interina é Isabel Ucha, que já pertence ao conselho de administração da Euronext Lisbon.

Segundo comunicado difundido pela Euronext Lisbon, a saída de Laginha de Sousa resultou de “mútuo acordo“, depois de o presidente da bolsa ter manifestado o “desejo de explorar outros interesses profissionais“.

“Durante o período em que estive na Euronext, o mercado português testemunhou o período mais difícil dos últimos 40 anos. Apesar disso, foi o privilégio e uma honra servir esta empresa e estou orgulhoso de tudo o que foi conseguido, tanto externa como internamente, desde a minha nomeação para presidente-executivo”.

Luís Laginha de Sousa acrescenta, no comunicado, que “a Euronext desempenha um papel crucial no financiamento da economia real em Portugal e foram tomadas muitas medidas para que este papel seja significativamente alargado. Desejo as maiores felicidades à Euronext e à pessoa que vier a substituir-me”, afirmou o presidente da bolsa de valores – que no ano passado colaborou com o Observador para o trabalho Na bolsa joga-se ou investe-se?.

O presidente da Euronext, a empresa europeia de bolsas de valores, Stéphane Boujnah, agradeceu a “dedicação incansável à Euronext nos últimos 10 anos” e desejou-lhe “as maiores felicidades para as suas atividades futuras”.