O ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Castro, disse hoje durante uma conferência de imprensa em Brasília que uma vacina contra o vírus zika pode ser desenvolvida dentro de um ano. Dizendo de uma forma mais clara: “A ideia é que já no primeiro ano sejam feitos os primeiros ensaios pré-clínicos, simultaneamente no Brasil e nos Estados Unidos.” Ou seja, até que a vacina esteja disponível para ser usada em humanos, pode levar mais algum tempo.

Segundo Marcelo Castro, o prazo diz respeito ao projeto que será desenvolvido por uma parceria entre o Instituto Evandro Chagas, no Estado do Pará, e a Universidade do Texas, nos Estados Unidos.

O ministro brasileiro acrescentou que o Brasil investirá, nos próximos cinco anos, 1,9 milhões de dólares (1,67 milhões de euros) no projeto.

Marcelo Castro recordou ainda que a experiência das duas instituições em pesquisas relacionadas com doenças causadas por vírus semelhantes como a Dengue, Chikungunya e Febre Amarela, deve ajudar a reduzir o tempo para a formulação de uma vacina contra o zika.

O início dos testes não significa que a vacina será usada para imunizar a população naquele período, porque antes precisa de ser testada e aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).