Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nos anos setenta, ainda antes da Revolução Islâmica de 1979, a vida no Irão era completamente diferente. Apesar do regime ditatorial onde a liberdade política era uma utopia, eram um país desenvolvido: olhar para as fotografias dessa época era ver um cenário ocidental, com modernização e cultura. Era o resultado de uma economia em crescendo, baseada em investimentos no setor da indústria por parte do ditador Shah.

Isto foi válido ao longo de 40 anos. As burcas que as mulheres iranianas de hoje utilizam contrastam muito com o conceito de moda dos anos setenta, quando elas utilizavam roupas frescas e alguma pele à mostra sem que lhes fosse apontado o dedo. No entanto, o extremismo do Shah tornou-se insuportável e a Revolução Islâmica de 1979 veio alterar o estilo de vida no Irão: a partir dessa altura, as tradições ocidentais introduzidas na cultura foram proibidas. E isso incluía a música, a maquilhagem, a roupa e – claro – os comportamentos considerados “desviantes”. E as mulheres que antes figuravam nas capas das revistas foram atiradas para trás de um véu.

Veja como eram as mulheres iranianas de antigamente na fotogaleria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR