Leonardo DiCaprio, Brad Pitt e Matthew McConaughey são alguns dos atores que ostentaram barbas viçosas e bem tratadas porque a moda assim o ditou (no caso do primeiro foi um papel a desempenhar no grande ecrã, mas adiante). A moda da barba não é exclusiva de Hollywood — está nos supermercados, na rua, no vizinho de cima e do lado, no colega de trabalho e no marido. Diz-se que as mulheres gostam de uma barba bonita e que esta é incontestavelmente masculina, mas a verdade é que, como todas as modas, também esta será passageira.

Martial Vivot, cabeleireiro nova-iorquino, explica a propagação da barba como forma de frisar a individualidade de cada um: “A maior parte dos homens tem cabelo curto e ter barba abre todo um novo espetro de autoafirmação”, disse ao Wall Street Journal. A barba tem a capacidade de conferir maturidade e estilo.

Leonardo DiCaprio Named UN Messenger Of Peace

DiCaprio no auge da sua barba. Foto: Eduardo Munoz Alvarez/Getty Images

Como todas as tendências que se prezem, a moda espalhou-se e generalizou-se. Mike Venturas, dono da Gentlemen’s Barbershop, em Moscavide, justifica a massificação da barba pelo facto de se ter tornado algo natural. Se antigamente os amigos diziam uns aos outros frases como “essa barba não se faz?”, hoje essa pergunta desapareceu completamente. Ainda segundo o The Wall Street Journal, o grande problema dessa propagação é que os homens de barba tornaram-se aborrecidamente normais.

O que levanta a questão: ainda é cool ter barba? Nos Estados Unidos a resposta a esta pergunta também começa a generalizar-se e é um rotundo não. Os homens começam a não gostar de entrar num bar e só verem homens de barba, ou seja, todos iguais uns aos outros. Mike Venturas tem precisamente a mesma opinião quando diz ao Observador que “todos os homens de barba são iguais”. Já chegou inclusivamente a ser confundido com Hugo Ramos, que trabalha consigo na barbearia, só porque este também tem uma barba grande.

mike venturas hugo ramos

Mike Venturas e Hugo Ramos. Imagem carregada do Facebook Gentlemen’s Barbershop

No entanto, a tendência parece não ser voltar à inexistência completa de pelos faciais, mas sim optar por linhas mais delineadas e reduzir consideravelmente no tamanho ou então apostar somente no bigode.

Admitindo que vai deixar a sua barba exatamente como está e que em Portugal a moda vai passar, “mas não agora”, Mike Venturas só espera que o próximo grito não seja o das barbas fininhas à Craig David porque, para além de darem muito trabalho, não são propriamente lisonjeadoras.