Acha que não tem tempo para ler a obra-prima de Miguel de Cervantes? Não consegue tirar umas horas por dia para se sentar, abrir o livro e desfrutar das aventuras de D. Quixote e do seu fiel companheiro Sancho Pança? Mesmo que tenha essa disponibilidade não quer andar com o livro atrás (848 páginas na última edição da Bertrand)? Pois bem, Diego Buendia resolveu o seu problema: tweetou toda a obra.

Ao longo de quase dois anos, o engenheiro informático reformado tweetou a obra completa de Cervantes. O romance, sobre o fidalgo que lutava contra os moinhos de vento, foi publicado em 17.000 tweets, a um ritmo de 28 fragmentos por dia, cada um deles com um máximo de 140 carateres.

O primeiro tweet da conta dizia “À espera de uma autorização do Twitter – é preciso começar a publicar O Quixote em 17000 tweets.”

Esta tarefa foi sendo cumprida ao longo de quase dois anos, coincidindo o seu final com o 400º aniversário da morte de Cervantes, que se celebra esta sexta-feira (22 de abril). Este último tweet deverá ser colocado a partir de Alcazar de San Juan, a aldeia na região da Mancha onde se crê que Miguel de Cervantes tenha nascido, informa o Business Insider.

A tarefa terá surgido de uma brincadeira. O dono da conta explicou: “Estávamos a brincar a dizer quão bom seria ter os clássicos publicados no Twitter”, mas o que começou como uma brincadeira, passou a ser uma realidade. O clássico escolhido? “El ingenioso hidalgo don Quijote de la Mancha” de Cervantes.

Agora já pode ler um dos clássicos da literatura europeia no seu telefone, juntamente com o primeiro-ministro Mariano Rajoy e outros 7.500 seguidores. Mas apresse-se. Faltam apenas dois dias para o último tweet ser publicado.