A Comissão Europeia admitiu esta quinta-feira que os 28 não conseguiram chegar a acordo sobre a extensão da utilização do glifosato nos Estados-membros. “Sem se conseguir uma maioria qualificada, não houve voto”, afirmou uma porta-voz da Comissão, mostrando o desacordo entre países sobre esta matéria.

O grupo técnico da Comissão Europeia, que integra representantes dos vários Estados-membros, deveria ter decidido esta quinta-feira sobre o prolongamento da utilização de glifosato durante os próximos nove anos, mas não houve qualquer decisão. A Alemanha não consegue encontrar uma posição única sobre a utilização deste herbicida, já que os dois parceiros de coligação, a CDU e o SPD têm posições diferentes sobre a matéria, preferindo abster-se. Portugal também indicou que se iria abster.

França e o Luxemburgo estão contra esta utilização e França vai mesmo votar internamente para banir o glifosato, anunciou Marisol Touraine, ministra da Saúde. Esta medida vai ser tomada em França independentemente da posição comunitária.