O potencial candidato republicano nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, Donald Trump, lançou esta quarta-feira um feroz ataque a Hillary Clinton, afirmando que a ex-secretária de Estado, é uma “mentirosa de classe mundial” e que não tem qualidade para disputar a presidência. “Hillary Clinton [a potencial candidata democrata nas eleições presidenciais] poderá ser a pessoa mais corrupta que tentou chegar à Presidência”, disse o magnata do imobiliário, durante um discurso diante de apoiantes no Trump SoHo, o seu hotel de cinco estrelas em Manhattan.

No discurso, Trump alertou que a fasquia nas eleições presidenciais é elevada, apresentando-se como um pensador inovador que irá concretizar coisas e proteger os eleitores de um sistema económico e político manipulado contra eles por políticos de carreira, incluindo Hillary Clinton.

Segundo o magnata, a ex-secretária de Estado é uma “mentirosa de classe mundial” que “aperfeiçoou a política do benefício próprio e do roubo” e que não tem discernimento para ser a primeira mulher a ocupar a Presidência dos Estados Unidos.

Ela geriu o Departamento de Estado como o seu fundo pessoal, fazendo favores a regimes repressivos, e a muitos outros, em troca de dinheiro”, disse Trump.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Trump denunciou ainda que os cerca de 42 milhões de dólares (cerca de 37 milhões de euros) declarados pela campanha de Clinton até junho (segundo as contas apresentadas à Comissão Eleitoral Federal) são “dinheiro de sangue”.

“Clinton conseguiu desestabilizar praticamente sozinha todo o Médio Oriente”

Para Donald Trump, Hillary Clinton conduziu uma política externa “vergonhosa” que custou aos Estados Unidos “milhares de vidas e biliões e biliões de dólares”, numa referência ao apoio de Hillary Clinton às invasões do Afeganistão e do Iraque.

“Em apenas quatro anos, a secretária de Estado Clinton conseguiu desestabilizar praticamente sozinha todo o Médio Oriente”, referiu o candidato republicano, acrescentando que o grupo extremista Estado Islâmico (EI) é uma ameaça por causa das decisões da ex-chefe da diplomacia norte-americana.

Na área económica, Trump atacou o apoio de Hillary Clinton a acordos comerciais internacionais que representaram uma “total devastação” para os trabalhadores americanos e custaram ao país cerca de um terço dos seus postos de trabalho no sector da indústria.

Hillary Clinton deu à China milhões de postos de trabalho e em troca Hillary Clinton ficou rica”, prosseguiu.

O republicano também não poupou o marido da candidata democrata, o antigo Presidente Bill Clinton, afirmando que o casal ganhou desde 2001 cerca de 153 milhões de dólares (cerca de 135 milhões de euros) em discursos para grupos de influência (‘lobby’), governos estrangeiros e líderes de grandes empresas. Também denunciou que a Fundação Clinton terá arrecadado milhões em países do Médio Oriente que abusam de mulheres e de membros da comunidade Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero (LGBT).

As eleições gerais presidenciais norte-americanas estão agendadas para 8 de novembro deste ano.