O potencial candidato republicano nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, Donald Trump, lançou esta quarta-feira um feroz ataque a Hillary Clinton, afirmando que a ex-secretária de Estado, é uma “mentirosa de classe mundial” e que não tem qualidade para disputar a presidência. “Hillary Clinton [a potencial candidata democrata nas eleições presidenciais] poderá ser a pessoa mais corrupta que tentou chegar à Presidência”, disse o magnata do imobiliário, durante um discurso diante de apoiantes no Trump SoHo, o seu hotel de cinco estrelas em Manhattan.

No discurso, Trump alertou que a fasquia nas eleições presidenciais é elevada, apresentando-se como um pensador inovador que irá concretizar coisas e proteger os eleitores de um sistema económico e político manipulado contra eles por políticos de carreira, incluindo Hillary Clinton.

Segundo o magnata, a ex-secretária de Estado é uma “mentirosa de classe mundial” que “aperfeiçoou a política do benefício próprio e do roubo” e que não tem discernimento para ser a primeira mulher a ocupar a Presidência dos Estados Unidos.

Ela geriu o Departamento de Estado como o seu fundo pessoal, fazendo favores a regimes repressivos, e a muitos outros, em troca de dinheiro”, disse Trump.

Trump denunciou ainda que os cerca de 42 milhões de dólares (cerca de 37 milhões de euros) declarados pela campanha de Clinton até junho (segundo as contas apresentadas à Comissão Eleitoral Federal) são “dinheiro de sangue”.

“Clinton conseguiu desestabilizar praticamente sozinha todo o Médio Oriente”

Para Donald Trump, Hillary Clinton conduziu uma política externa “vergonhosa” que custou aos Estados Unidos “milhares de vidas e biliões e biliões de dólares”, numa referência ao apoio de Hillary Clinton às invasões do Afeganistão e do Iraque.

“Em apenas quatro anos, a secretária de Estado Clinton conseguiu desestabilizar praticamente sozinha todo o Médio Oriente”, referiu o candidato republicano, acrescentando que o grupo extremista Estado Islâmico (EI) é uma ameaça por causa das decisões da ex-chefe da diplomacia norte-americana.

Na área económica, Trump atacou o apoio de Hillary Clinton a acordos comerciais internacionais que representaram uma “total devastação” para os trabalhadores americanos e custaram ao país cerca de um terço dos seus postos de trabalho no sector da indústria.

Hillary Clinton deu à China milhões de postos de trabalho e em troca Hillary Clinton ficou rica”, prosseguiu.

O republicano também não poupou o marido da candidata democrata, o antigo Presidente Bill Clinton, afirmando que o casal ganhou desde 2001 cerca de 153 milhões de dólares (cerca de 135 milhões de euros) em discursos para grupos de influência (‘lobby’), governos estrangeiros e líderes de grandes empresas. Também denunciou que a Fundação Clinton terá arrecadado milhões em países do Médio Oriente que abusam de mulheres e de membros da comunidade Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero (LGBT).

As eleições gerais presidenciais norte-americanas estão agendadas para 8 de novembro deste ano.