Funcionários da Receita Federal do Brasil iniciaram esta quinta-feira uma paralisação das suas atividades no país em pelo menos seis Estados.

Noutros locais, os funcionários reduziram o ritmo dos atendimentos, prejudicando passageiros em aeroportos e o transporte de cargas que chegam e saem do país.

A paralisação foi confirmada na quarta-feira na página na Internet do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), em resposta ao atraso do reajustamento salarial, aprovado esta semana pelo Congresso mas que ainda não está em vigor.

No Rio de Janeiro, cidade que dentro de 21 dias receberá milhares de turistas e atletas para os Jogos Olímpicos, os funcionários fizeram uma manifestação no Aeroporto Internacional Tom Jobim, atrasando o processo de saída dos passageiros que chegavam.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em São Paulo o movimento de aeroportos e portos também foi prejudicado.

Chefes de área da Receita Federal demitiram-se dos seus cargos, o que prejudica o funcionamento dos postos de atendimento.

Na cidade de Foz do Iguaçu, localizada na fronteira com a Argentina e Paraguai, a greve afetou a libertação de cargas para importação e exportação.

Os grevistas informaram que vão paralisar duas vezes por semana, à terça e quinta-feira, até as suas reivindicações serem atendidas e que passarão a ser mais rigorosos na fiscalização de cargas e bagagens.