Dois aviões da coligação árabe liderada pela Arábia Saudita atacaram hoje posições da al-Qaeda no sul do Iémen, matando muitos jihadistas, segundo as autoridades militares.

Os ataques tiveram como alvo os jihadistas que se reuniam nos arredores da cidade de Jaar, no sul da província de Abyan, um reduto da al-Qaeda, informaram os militares.

O confronto ocorreu depois da realização de várias reuniões com oficiais militares em Aden, de modo a preparar a operação contra a jihadi na província.

Algumas forças leais ao Governo do presidente Abd Rabbo Mansour Hadi, apoiadas por ataques da coligação, lançaram em março uma grande ofensiva contra os jihadistas, resultando na recuperação de várias cidades, nomeadamente Moukalla, que estava sob poder da al-Qaeda há um ano.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os jihadistas têm colocado minas e outros engenhos explosivos ao longo da estrada que liga a província de Abyan à cidade portuária de Áden, disseram algumas testemunhas.

Aden é a capital provisória do governo de Hadi, que é apoiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde que os rebeldes xiitas Houthi assumiram o controlo da capital Sanaa e de outras regiões, em setembro de 2014.

Os jihadistas da Al Qaeda e do Estado Islâmico (EI) aproveitaram o conflito para estender a sua influência no sul e a sudoeste.

Além disso, dois supostos membros do EI assassinaram no sábado um imã, Ali Abdulrahman al-Zahra, abandonando de seguida a mesquita em Aden, de acordo com um oficial de segurança.

O EI tem feito ameaças contra líderes religiosos, acusando-os de apoiarem o Governo.

As negociações entre os protagonistas do conflito continuam e, segundo a ONU, já houve mais de 6.400 mortes desde março de 2015