Os atletas dos Estados Unidos da América têm usado uns auscultadores muito particulares. Os Halo Sport fornecem estímulos neurológicos que melhoram o rendimentos dos atletas.

Quem o pode confirmar é Michael Johnson, um dos mais famosos atletas dos EUA , detentor do recorde dos 200 metros entre 1996 e 2008 e vencedor de quatro medalhas de ouro em Jogos Olímpicos. Fundou a MJ Performance, um centro de preparação no Texas onde os atletas usam estes “headphones”.

Johnson fez uma parceria para o seu centro com a Halo Neuro, a companhia que criou os Halo Sport. Estes auscultadores têm umas placas de silicone que estimulam os neurónios e que muitos já chamam de “neuro-doping”. Contudo, a Agencia Mundial de Antidopagem ainda não se manifestou contra este novo método que melhora o rendimento desportivo e que muitos dos atletas que vão aos Jogos no Rio de Janeiro já experimentaram.

Este “neuro-doping” afeta várias áreas do cérebro e melhora a atenção e concentração do atleta, o equilíbrio e até a resistência, sendo que deve ser usado em doses de, no máximo, 20 minutos. Os auscultadores podem ser comprados por 649 dólares, cerca de 578 euros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A técnica utilizada neste auscultadores é chamada de estimulação transcraniana por corrente contínua, um método de neuro estimulação que usa uma corrente elétrica que emite diretamente para o cérebro. Foi inicialmente implementada no exército norte-americano para melhorar a capacidade de disparo dos militares.

Os EUA vão ter 555 atletas nos Jogos do Rio, sendo que 68 já ganharam medalhas olímpicas em edições passadas, em representação de 27 modalidades. A cerimónia de abertura é na sexta-feira dia 5 de agosto.