Dois novos casos de infeção pelo vírus Zika foram diagnosticados em Cuba em pessoas que não viajaram para outro país, informou esta quinta-feira o Ministério de Saúde Pública.

Os dois casos não importados foram confirmados esta segunda-feira na cidade oriental de Holguín e somam-se ao de uma jovem de 21 anos de Havana, diagnosticado em março.

Os dois pacientes diagnosticados com o vírus Zika em Holguín, a cerca de 750 quilómetros a leste de Havana, foram internados após apresentarem sintomas da doença, segundo o comunicado do Ministério, divulgado pela televisão estatal.

Os doentes apresentam uma “evolução favorável”.

O primeiro caso de vírus Zika em Cuba foi importado por uma médica venezuelana de 28 anos em fevereiro.

As autoridades de saúde confirmaram 33 casos de infeção com o vírus Zika na ilha, 30 deles importados, incluindo duas mulheres grávidas, e três autóctones.

O Zika não é geralmente uma doença mortal, mas a incidência em mulheres grávidas tem sido relacionada com casos de microcefalia e outras malformações nos bebés.