Aleksander Ceferin foi eleito presidente da UEFA, sucedendo assim a Michel Platini à frente do futebol europeu. A eleição do esloveno aconteceu no congresso da UEFA, que decorre esta quarta-feira em Atenas, na Grécia.

O esloveno, que estará à frente da UEFA até 2019, disse que “é uma grande honra, mas também uma grande responsabilidade”, para ele e para o seu país. “Significa muito para mim. A minha pequena e bela Eslovénia está muito orgulhosa, e espero que um dia também vocês estejam orgulhosos de mim”, disse o novo presidente da UEFA aos presentes.

aleksander

O nome de Aleksander Ceferin no ecrã gigante durante o congresso da UEFA, em Atenas, que o elegeu como sucessor de Platini.

Ceferin, de 48 anos, é atualmente o presidente da Federação Eslovena de Futebol, e foi apoiado na votação pela Federação Portuguesa. O esloveno candidatou-se contra Michael van Praag, de 68 anos, atual presidente da Federação Holandesa. No Congresso Extraordinário eleitoral, em Atenas, o esloveno recebeu 42 votos a favor, contra 13 para o holandês.

Van Praag também deixou o seu apoio a Ceferin, sublinhando que seria um presidente “diferente” do esloveno. “O Aleksander e eu temos o mesmo objetivo. Queremos uma UEFA diferente e melhor, mas ele quer fazê-lo desta forma e eu queria fazê-lo à minha maneira”, disse o candidato derrotado.

Cada uma das 55 federações nacionais dispunha de um voto, neste 12.º Congresso Extraordinário da UEFA. No início do congresso, Michel Platini fez o seu discurso de despedida do cargo, em que se considerou “de consciência tranquila”. Platini está suspenso por quatro anos de toda a atividade ligada ao futebol. O seu sucessor irá cumprir um primeiro mandato de dois anos e meio, o tempo que restava a Platini.