O trânsito nas grandes cidades não está a ficar mais fluído e a qualidade do ar que respiramos nas grandes metrópoles também não, pelo menos a fazer fé em estudos recentes da Organização Mundial de Saúde. E isto será motivo mais que suficiente para que, depois de os carros abraçarem a locomoção eléctrica, as motas adiram igualmente à electricidade.

Interiorizada esta realidade, por que não optar por circular de mota eléctrica? Pelo menos, nos dias em que não chove – a maioria dos condutores das duas rodas continua com pouca vontade de tomar uns banhos em que a água vem misturada com lama, fumo e óleo, vá-se lá saber porquê. É a possibilidade de chegar mais depressa ao destino, aliada à sensação de liberdade que as duas rodas proporcionam, e de mãos dadas com uma facilidade acrescida de estacionamento. Convenhamos que a proposta, pelo menos teoricamente, parece imbatível.

Consciente que será mais fácil conquistar voluntários para as motas eléctricas se elas foram esteticamente apelativas – se foram apaixonantes, melhor –, o designer Jans Slapins, quem sabe já a fazer-se ao lugar de responsável pelo estilo da futura Tesla Motocycles, decidiu criar o seu Project M. Agora resta esperar para que o lendário faro para os negócios de Musk – que o levou já a inventar o PayPal, a Space X e a Tesla, entre outras – faça o seu papel, pois as motas eléctricas são mais facilmente exequíveis do que as pick-ups de que já fala para a Tesla.

É claro que motas eléctricas há muitas – basta ver a fotogaleria que lhe preparámos – e se ficámos fãs da criação de Slapins, não faltam alternativas, certos que uma mota eléctrica, se bem que limitada pela menor capacidade de transportar baterias, seria altamente beneficiada pelo peso inferior e, logo, por necessitar de um motor muito menos potente para andar a um ritmo entusiasmante.

Se não acredita, basta pensar que uma mota desportiva, tipo Honda CBR 1000RR, com cerca de 175 cv atinge 300 km/h e os 100 km/h ao fim de aproximadamente 3 segundos. Para atingir a mesma fasquia, um Aston Martin Vanquish V12 necessita de 517 cv para tocar nos 305 km/h, apesar da barreira dos 100 km/h ficar a 4,2 segundos de distância. Ou seja, uma mota com apenas 34% da potência do Aston, seria 40% mais rápida no arranque.