Os membros do Fórum Cidadania Lx pensam que “o estado da higiene de Lisboa é hoje pior do que há quatro anos”, pelo que decidiram reenviar à câmara municipal um conjunto de propostas que fizeram em 2012 sobre este tema. “Infelizmente não obtivemos resposta nem, mais importante, vemos que a situação tenha melhorado, antes pelo contrário”, lamentam os ativistas, que pedem à autarquia e às juntas de freguesia que tomem medidas.

Para o fórum, “há cada vez mais casos de deposição selvagem de lixo nas ruas”, o que é, aliás, “o problema principal” da higiene urbana em Lisboa. Já em 2012, no documento que agora voltaram a enviar ao presidente e vice-presidente da câmara, estes lisboetas se diziam envergonhados pelo “estado de sujidade permanente” da cidade. E, acrescentam agora, verifica-se também uma “incapacidade” das autoridades “em dar resposta à produção de lixo associada ao fenómeno do turismo de massas nos bairros históricos”.

O documento, ilustrado com dezenas de exemplos de lixeiras um pouco por toda a cidade, propõe à câmara e às juntas que não se foquem apenas na recolha de lixo e na limpeza das ruas, mas que desenhem uma estratégia para “incidir igualmente na produção e depósito do lixo”. As sugestões do fórum passam por “aumentar a frequência da limpeza”, criar programas de “educação de adultos” que levem à “modificação de comportamentos”, reforçar a “fiscalização e efetiva repressão” aos prevaricadores e, ainda, a “melhoria das instruções” do depósito e recolha de lixo.

Nos últimos anos, a câmara tem feito várias alterações à recolha de resíduos. Uma das mais recentes deu-se em alguns bairros históricos, onde os contentores que havia dentro dos edifícios foram retirados. Em vez de colocarem o contentor na rua todas as noites, os moradores passaram a ter de deixar os sacos do lixo diretamente nos passeios, a dias e horas determinados. Só que nem todos cumprem essas regras (os turistas, por exemplo, que não as conhecem) e o cenário de pequenas lixeiras tornou-se habitual recentemente.

O documento do Fórum Cidadania Lx pode ser consultado aqui.