A primeira-ministra da Escócia anunciou esta quinta-feira que vai na próxima semana dar o primeiro passo para a realização de um segundo referendo à independência daquele país do Reino Unido. Numa reunião do maior partido independentista escocês, Nicola Sturgeon disse que vai aprovar um decreto sobre esse referendo e que considera que os escoceses têm legitimidade para continuar na União Europeia.

O primeiro referendo à independência escocesa decorreu em setembro de 2014. Na altura venceu a opção pela permanência no Reino Unido, mas o Brexit desencadeou a vontade de realizar nova consulta popular.

“Estou determinada a que a Escócia tenha a capacidade de reconsiderar a questão da independência e que o faça antes que o Reino Unido saia da União Europeia — se isso for necessário para proteger os interesses do nosso país”, disse Sturgeon.

A última sondagem sobre o assunto, publicada na semana passada, mostra que 47% dos escoceses são contra a independência, o que significa que o resultado de 2014 (55%) ainda não se inverteu.