A China vai lançar uma missão espacial tripulada na segunda-feira, avança hoje a agência de notícias oficial Xinhua.

Os astronautas Jing Haipeng e Chen Dong vão estar a bordo da nave espacial Shenzhou-11 quando esta partir do centro de lançamento Jiuquan, no deserto Gobi, segundo a Xinhua.

Os tripulantes devem chegar ao laboratório espacial chinês, Tiangong-2, em 48 horas e aí ficar por mais 30 horas antes de regressarem à Terra.

Jing, um astronauta de 50 anos que já foi duas vezes ao espaço, vai comandar a missão até ao laboratório, que foi lançado em setembro.

Jing e Chen vão realizar projetos de investigação relacionados com reparação de equipamentos em órbita, medicina aeroespacial, física e biologia espacial, relógios espaciais atómicos e tempestades solares.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pequim tem vindo a investir no seu programa espacial, na tentativa de acompanhar os progressos dos Estados Unidos e da Europa.

Anunciou em abril que quer enviar uma nave espacial “perto de 2020” para orbitar Marte, aterrar e colocar um ‘rover’ para explorar a superfície do Planeta Vermelho.

Pequim vê o programa espacial como um símbolo do progresso da China e da sua emergência como potência mundial.

O primeiro ‘rover’ lunar foi lançado em 2013 e apesar dos problemas mecânicos, sobreviveu além das expectativas, deixando apenas de funcionar no mês passado.

No entanto, até agora, a China tem reproduzido apenas atividades em que os Estados Unidos e a União Soviética foram pioneiros há várias décadas.

A China pretende desenvolver a sua própria estação espacial em 2022 e eventualmente levar um dos seus cidadãos à lua.