As ações do BCP estão a subir 8,3% e já estiveram a ganhar mais de 10% esta terça-feira na bolsa de Lisboa. A subida das ações é uma reação ao agendamento, para 9 de novembro, da assembleia-geral que deverá viabilizar a entrada dos chineses da Fosun no capital do banco.

Não sendo surpreendente, o facto de todos os quatro maiores acionistas do banco terem convocado a AG (Sonangol (17,8%), Sabadell (5,1%), EDP (2,6%) e InterOceânico (2,1%)) fez com que a notícia tenha acabado por impulsionar o valor das ações porque o banco fica mais próximo de ver o conglomerado chinês investir na instituição. Na assembleia-geral vai ser votado o aumento do limite de votos dos atuais 20% para 30%, algo essencial para que o investimento chinês se processe.

“De uma maneira geral, trata-se de uma notícia esperada”, afirma André Rodrigues, analista do CaixaBI que segue as ações dos bancos, em nota enviada esta manhã aos clientes do banco de investimento.

Ações sobem quase 10%, recuperando um pouco das perdas recentes

BCP PL Equity (Banco Comercial P 2016-10-18 15-44-27

A subida das ações, para a região dos 1,7 cêntimos, eleva a cotação para os níveis mais elevados desde setembro. Nos últimos meses, têm pesado na cotação do banco os receios de que fosse necessário fazer um aumento de capital no mercado, com um forte desconto no preço para atrair investidores. Esses receios tornam-se menos intensos com a perspetiva de a Fosun investir para ficar com 16,7% do banco (com a possibilidade de ir até aos 30%).