O Santander Totta deverá fechar o ano com menos cerca de 200 trabalhadores do que no final de 2015, que saíram através de rescisões por mútuo acordo, disse, esta quarta-feira, o presidente do banco.

Segundo António Vieira Monteiro, até setembro saíram da instituição detida pelo espanhol Santander “entre 100 a 150 pessoas”, sendo que até final do ano é esperado que deixem o banco mais “50 a 60” trabalhadores.

Todos os funcionários sairão por rescisões por mútuo acordo, afirmou o presidente do banco, referindo que a instituição que dirige não conhece outra forma de rescindir contratos com empregados.

Já em termos de agências, o banco fundiu 65 até ao momento e espera fechar mais 25 agências até final do ano.

Desde que adquiriu parte da atividade do Banif em dezembro do ano passado, o Santander Totta tem levado a cabo um processo de racionalização de agências, fechando os balcões sobrepostos e distribuindo os trabalhadores dessas agências por outras unidades da rede.

O Banco Santander Totta apresentou, esta quarta-feira, um resultado líquido de 293,7 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, numa subida homóloga de 66,2%, revelou hoje a instituição.