A Alfa Romeo confirmou que a apresentação do primeiro SUV da sua história acontecerá já no próximo Salão Automóvel de Los Angeles, a decorrer entre os dias 18 e 27 de Novembro. Tudo dentro da normalidade, não fosse o caso de, mais uma vez, a Internet ter servido para difundir umas quantas fotos-espia do modelo, entretanto apanhado de camuflado.

Especula-se que o segundo modelo de uma ofensiva de produto iniciada com o Giulia se vai chamar Stelvio, mas até agora não houve qualquer confirmação oficial da designação que o modelo adoptará. A fazer fé nesses rumores, o SUV pode ter ido buscar inspiração para o seu nome à passagem de montanha que liga a Itália à Áustria, mas também ao nome de um queijo italiano, de um parque nacional transalpino, de um compositor e até mesmo a um modelo da também italiana Moto Guzzi! Por isso, fiquemo-nos (por enquanto) pela forma como é internamente conhecido: Tipo 949 D-SUV. É este o nome de código do futuro SUV que, não escondendo as parecenças com o Giulia, nomeadamente na secção dianteira, promete destacar-se quer no asfalto quer em pisos para durões, com a marca do trevo a anunciar que o modelo terá competências no domínio do offroad.

“A razão pela qual as pessoas vão comprar o nosso SUV é porque vão ficar totalmente espantadas com a dinâmica de condução, revelou à Autocar o patrão da marca, Reid Bigland, sublinhando que o objectivo da casa de Arese é continuar a fazer frente aos rivais alemães premium.

O primeiro SUV da Alfa Romeo deverá utilizar uma versão ligeiramente alterada da mesma plataforma que, após ter sido desenvolvida na sede da Maserati, foi estreada no Giulia, e que tanto pode servir para modelos de tracção dianteira, como de tracção integral. Podendo igualmente receber tanto motores de quatro cilindros, como de seis cilindros em V, a gasolina ou a gasóleo. Incluindo o V6 2.9 biturbo de 510 cv do Quadrifoglio Verde.

“Mesmo com o novo SUV (o Stelvio), apenas conseguiremos uma cobertura de 50% do mercado”, nota Bigland, realçando que os concorrentes alemães “estão presentes em todos os segmentos e a lançar derivações, criando subsegmentos”, o que deixa à Alfa Romeo apenas uma hipótese: “Só temos uma oportunidade para fazer o melhor carro possível em cada lançamento.”

A estratégia da marca passa agora por lançar nove novos modelos até 2021, continuando a ofensiva iniciada com o Giulia e a que o Stelvio dará seguimento. No entanto, este é apenas um de três SUV que estarão a ser desenvolvidos pela Alfa Romeo: espera-se igualmente uma proposta topo de gama, feita a partir do Maserati Levante e destinado a fazer frente ao Audi Q7, e um outro que se irá posicionar abaixo do Stelvio, visando adversários como o BMW X1.

Uma berlina acima do Giulia, o já especulado Giorgio, a carrinha do Giulia esperada já para 2017, além de um novo desportivo, também estão nos planos da casa transalpina, que incluem ainda o sucessor do Giulietta (que também terá uma derivação carrinha) e o substituto do Brera, para 2020, em formato coupé e cabrio.