Mais de 360 empresas, maioritariamente norte-americanas, incluindo Gap, Hewlett Packard, Kellog, Hilton ou Nike, escreveram uma carta ao Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, para respeitar o acordo sobre o clima aprovado em 2015.

Nós, membros da comunidade empresarial e investidores nos Estados Unidos, reafirmamos o nosso firme compromisso de responder às alterações climáticas com a aplicação do histórico acordo de Paris”, referem no apelo público divulgado à margem da conferência do clima promovida pela ONU em Marraquexe.

Apelamos aos eleitos norte-americanos para apoiarem firmemente a continuação das políticas (de redução de emissões de gases com efeitos de estufa) para permitir aos Estados Unidos cumprirem os seus compromissos” nesta matéria, diz o texto também dirigido aos parlamentares norte-americanos.

Os signatários pedem que a economia norte-americana seja eficiente no plano energético e baseada numa energia baixa em carbono e com “soluções inovadoras”.

Mantemos o compromisso de fazer a nossa parte para cumprir o objetivo de Paris para uma economia mundial que mantenha o aquecimento global abaixo dos 2°C”, afirmam as empresas signatárias, onde figuram também a General Mills, Levi Strauss, L’Oréal USA, Schneider Electric e Unilever.

Durante a campanha eleitoral, Trump indicou que desvincularia os Estados Unidos do acordo de Paris.