Antes de Trump anunciar a intenção de construir um muro a separar o México dos Estados Unidos, já o novo presidente americano queria erguer outro muro, conta o The Guardian. O muro seria construido na costa irlandesa, mais especificamente no Condado de Clare, para proteger o seu resort de golfe de luxo face à subida do nível das águas do mar.

O Trump International Golf Links and Hotel, na Irlanda, está ameaçado não apenas pela subida do nível do mar como também pelas tempestades que deixam o resort em perigo. Para o proteger, a solução de Trump passava pela construção desse um muro em seu redor. Para quem sempre se mostrou cético quanto ao aquecimento global, eis a vingança da natureza.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Agora a surpresa. Muitos residentes da zona onde está sediado o resort não só ficaram contentes com a eleição de Donald Trump para a presidência amricana, como também afirmam estar disponíveis para ajudar na construção do muro. A informação é avançada pelo The Guardian, que falou com um dos moradores, Martin Kelly, de 46 anos, que se gabou de ter ajudado o magnata do imobiliário na construção do resort. O homem acrescenta ainda que a sua mãe trabalha no resort e que a empresa nunca falhou para com os seus funcionários.

A construção do muro no local tem levantado problemas burocráticos e logísticos, devido ao seu peso e extensão, no entanto, a empresa de Trump está a insistir no pedido, alegando que caso contrário pode ter de encerrar o estabelecimento. Esta possibilidade assusta Kelly, o homem entrevistado pelo The Guardian, que se preocupa com o número de pessoas que o resort emprega e pelos terrenos à sua volta onde habitam famílias que ali possuem as suas terras e fazendas.

Kelly fala da importância e urgência de construir o muro para que a segurança do resort e suas áreas envolventes seja assegurado. Outras medidas tomadas anteriormente para evitar a erosão do mar saíram falhadas. Ainda assim, diz-se que nem mesmo o muro pode ser suficiente para aguentar a subida do nível das águas e existe o perigo de que toda a zona sucumba à força do mar e seja completamente “engolida” pelo oceano.

Mas nem todo a gente está contente. Alan Coyne, também entrevistado sobre o tema, lamenta que um muro seja erguido apenas por “caprichos” de multimilionários. Afirma que a sua construção vai ser a morte da paisagem característica da região. Acrescenta ainda que nunca se sentiu tão envergonhado como quando Trump entrou pela primeira vez na Irlanda: o governo irlandês recebeu o magnata do imobiliário com tapete vermelho, em 2014, quando comprou o resort.

“Trump chama o aquecimento global de farsa… menos quando ameaça os seus campos de golfe”, dizem.