Completa-se o trio de modelos de vocação mais polivalente da Opel, a que a marca prefere chamar CUV (Crossover Utility Vehicle). Pelo menos, no que à nomenclatura diz respeito. No Outono de 2017, ao já disponível Mokka X, e ao futuro Crossland X, junta-se o Grandland X, destinado ao segmento dos compactos.

Também aqui, e justificando a sua designação, fica a promessa da conjugação entre a versatilidade de um SUV e um desempenho dinâmico inequivocamente acima da média. Em termos de dimensões, o Grandland X alinhará com o monovolume de sete lugares da Opel, o Zafira, tendo por base a plataforma do recém-lançado Peugeot 3008, com o qual partilhará ainda a linha de produção na fábrica do Grupo PSA em Sochaux.

O estilo será, segundo o seu construtor, apelativo e capaz de conferir ao Grandland X uma aparência capaz de transmitir, em simultâneo, uma sensação de robustez e de elegância. Já o habitáculo será marcado pelo conforto e pela versatilidade, assim como por uma posição de condução propositadamente elevada, capaz de proporcionar uma ampla visibilidade em todos os sentidos, e por uma inequívoca facilidade de acesso tanto aos lugares dianteiros como traseiros. Não menos importante, a promessa de um amplo espaço, tanto para passageiros como para bagagens.