817kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

CGD. Paulo Rangel pede demissão de secretário Estado

Este artigo tem mais de 5 anos

Presença do atual presidente da Caixa Geral de Depósitos em Bruxelas para negociar recapitalização do banco público, quando ainda era administrador do BPI, suscitou intervenção do eurodeputado.

O eurodeputado Paulo Rangel considera que o secretário de Estado do Tesouro e Finanças deve “assumir as consequências políticas” pelo facto de o atual presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD) ter estado em Bruxelas, mandatado pelo Governo, para discutir com a Comissão Europeia os termos de recapitalização do banco público. Nessa altura, António Domingues ainda não estava na Caixa. Mais: era administrador e vice-presidente do BPI.

Numa nota publicada esta quinta-feira no Facebook, o social-democrata considera que a decisão de nomear o atual responsável da CGD para a discussão com as autoridades europeias foi um ato “totalmente contrário à transparência, à ética republicana e é revelador da enorme falta de consideração que este Governo tem pelos contribuintes”. Por isso, e depois de o próprio secretário de Estado Adjunto, do Tesouro e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, ter reconhecido que Domingues tinha sido escolhido pelo Governo para essa tarefa, “só resta” ao responsável “assumir as consequências políticas deste ato”.

Paulo Rangel entende, ainda, que António Costa tem de vir a público explicar “tudo, mas tudo e de uma vez” sobre o caso. “Que papel teve ele [António Domingues] no acordo para a isenção de obrigação de entrega da declaração de rendimentos? E agora, com este novo esclarecimento, como mandatou alguém para negociar a recapitalização da Caixa quando esse alguém era ainda administrador de outro banco e nem sequer tinha garantido que aceitaria o futuro cargo na Caixa?”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos