Há uns anos, quando os óleos faciais de beleza começaram a surgir no mercado, a sua chegada foi controversa. Se havia quem, por um lado, defendesse que os óleos eram o novo “milagre” da cosmética, também havia quem afirmasse que pouco ou nada faziam por se limitarem a ficar à superfície da pele. Esta duvida – É bom? É mau? Vale a pena usar? – perpetuou o eterno medo de muitas mulheres: se fugimos a sete pés da pele oleosa, porque vamos usar óleos?

A verdade é que os óleos instalaram-se e hoje em dia são um produto explorado por quase todas as marcas de cosmética. Há fórmulas para dar e vender: para o corpo, para o cabelo e, claro, para o rosto. E fazem mesmo milagres: hidratam, reduzem rugas, são ótimos para a pele seca, protegem-na, acalmam as irritações e impulsionam os resultados dos tratamentos que se fazem. Só que, como em tudo na beleza, é preciso saber usá-los para se poder usufruir dos seus reais benefícios.

O que fazem os óleos faciais?

A diferença entre um óleo e um creme é simples: os óleos são emolientes. Enquanto os cremes e os séruns penetram profundamente na pele para uma hidratação intensa (como diz o ditado popular: atacam o mal pela raíz), os óleos tendem a ficar à superfície criando uma barreira de proteção. Paul Jarrod Frank, especialista em dermocosmética, explicou à revista Glamour a principal regra a fixar em relação aos óleos: sozinhos, não são hidratantes e não os devemos usar como tal. O que eles fazem é selar a hidratação dentro da pele. Assim, ao usar um creme e depois um óleo, este vai prender a hidratação que o creme proporcionou. Sem o óleo, esta hidratação simplesmente acaba por desaparecer ao fim de umas horas ou até voltar a aplicar novamente um creme. Algumas mais valias do seu uso:

Proteção

Ao atuarem na superfície da pele, dão uma suavidade instantânea e, como muitos dos óleos contêm nutrientes essenciais e antioxidantes, criam uma camada protetora contra os radicais livres, conseguem manter as toxinas longe da pele e ajudam a fortalecer e a proteger a própria barreira natural, prevenindo o envelhecimento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Selam a hidratação

A maioria dos cremes contem água e óleo na sua composição mas, muitas vezes, essa quantidade de óleo não é suficiente e não vai conseguir atuar na perda de água que a pele sofre ao longo das horas. Como os óleos são lipofílicos (têm a capacidade de se dissolver em gordura) conseguem passar através da camada lipídica (as gorduras produzidas pelas células. Imaginando que a pele é uma parede, as células seriam os tijolos e a camada lipídica o cimento para manter os tijolos no sítio), impedindo a perda de água e selando a hidratação.

Absorção

Os óleos têm a capacidade de melhorar a absorção dos cremes anti-idade. É como se conseguissem “abrir” a pele, fazendo com que os ingredientes anti-idade (o retinol, o ácido glicólico, a vitamina C…) consigam penetrar mais profundamente.

Protegem nas temperaturas frias

As descidas bruscas da temperatura e os aquecedores sugam a humidade da pele, deixando-a, muitas vezes, seca, áspera, rosada e a escamar. Os óleos, ao selarem a humidade, conseguem proteger a pele sensível e, como atuam à superfície, deixam-na suave e hidratada.

São adequados a todos os tipos de pele

Até mesmo a pele oleosa, sim. Mas saber usar um óleo é fundamental. A primeira coisa a reter é que este deve ser sempre o último passo da sua rotina ou, se tem medo de aplicar um óleo no fim, pode ser misturado no seu hidratante. Desta forma está a selar não só o hidratante, mas também os ingredientes de tudo o que usou anteriormente. Como as peles oleosas requerem principalmente água para se conseguirem manter saudáveis (e sem oleosidade), a quantidade de óleo usado deve ser moderada e este deve ser aplicado após o hidratante (e nunca misturado). O objetivo é que a pele absorva os ingredientes do hidratante, quase como se se alimentasse deles. Assim, quando o óleo é aplicado já consegue atuar na perfeição sem criar nenhuma obstrução. Se pensar que a oleosidade surge, em primeiro lugar, porque a pele perde água, faz sentido usar um óleo para evitar esta perda.

Na fotogaleria, pode ver algumas sugestões de óleos faciais para vários tratamentos. Pense neles como os verdadeiros guarda-costas da sua pele: vão manter a hidratação e proteger de qualquer inimigo que se aproxime. Adeus poluição, toxinas, fumo, radicais livres e envelhecimento.