A leiloeira Christie foi acusada de usar um programa de computador para obter investigações, imagens e informações sobre preços de um site na Internet de uma empresa rival, que depois revendia como se fossem suas.

O processo por violação de direitos de autor acusa a londrina Christie e a sua subsidiária Collectrium de se apropriarem ilegalmente de cerca de três milhões de itens listados num site na Internet mantido pela leiloeira Heritage Auctions, baseada em Dallas, nos EUA. Estes itens acabavam por ser incluídos na base de dados da Collectrium, que contém mais de11 milhões de itens, detalhou-se no processo.

A Christie comprou a Collectrium, uma empresa digital de pesquisa de mercado e gestão de coleções de arte, em 2015. A Heritage entrou com o processo na sexta-feira, em Dallas, e reclama uma indemnização de 150 mil dólares por cada infração dos direitos de autor.