Hoje em dia com a produção do Defender original já terminada, a que se seguirá agora um novo modelo, com a mesma designação mas substancialmente mais evoluído, a Land Rover acaba de conquistar mais uma vitória na justiça, nos esforços de evitar que o nome Defender possa ser apropriado por outra companhia.

Segundo avança a Autocar, o último “pretendente” era uma companhia canadiana que acaba de lançar um veículo todo-o-terreno, promovido como “divertido e para utilização offroad de recreio”. A empresa, de nome Bombardier Recreational Products, foi proibida pelas altas instâncias judiciais inglesas de utilizar a designação Defender “ou outras similares, como por exemplo Defender Max”, no seu veículo, no espaço da União Europeia.

A Bombardier foi ainda condenada a pagar uma verba não especificada à Jaguar Land Rover relativamente a custos processuais, mas também a danos causados com a utilização do nome. Sendo ainda obrigada a retirar a designação Defender de todos os seus produtos e brochuras.

Com esta decisão, que certamente fará jurisprudência, também a Ineos poderá ver as suas pretensões bloqueadas. Recorde-se que, segundo algumas notícias, esta marca estaria a ponderar avançar com a produção de um modelo próprio, a que chamaria algo do tipo Defender, depois de não ter conseguido comprar os direitos sobre o modelo original à Land Rover.

“O Land Rover Defender é um veículo icónico que faz parte do passado, presente e futuro da Jaguar Land Rover. O sucesso do nosso negócio reside num design único e elevados atributos de engenharia, pelo que estamos decididos a proteger a marca, de forma determinada, seja em que parte do mundo for”, comentou, em declarações à Autocar, o responsável máximo pelos serviços jurídicos do fabricante britânico, Keith Benjamin. “Vamos continuar vigilantes [acerca deste assunto], nos mais de 150 mercados”, avisa.