Segundo a Ineos, multinacional petroquímica propriedade do milionário britânico Jim Ratcliffe e que, supostamente, servirá de apoio à intenção de Ratcliffe de não deixar morrer o icónico Defender, a intenção passa agora por produzir um veículo capaz de exibir o espírito do famoso todo-o-terreno, descartando assim qualquer esforço para tentar chegar a acordo com a Jaguar Land Rover (JLR) para fazer renascer o modelo lançado há 68 anos. Na base desta decisão não deixará de estar, no entanto, a já anunciada recusa da JLR em ceder os direitos sobre o reputado 4×4, afirmando que “ninguém vai produzir o nosso Defender”.

Quanto à Ineos, a Auto Express avança que o propósito é agora produzir um 4×4 totalmente de raiz, capaz de oferecer tudo aquilo que os clientes adoravam no Defender, sem concessões em termos de prazer de condução, segurança e emissões. O objectivo, acrescenta a mesma fonte, passa também por conceber e construir um veículo capaz de rivalizar, por exemplo, com o Toyota Land Cruiser, em termos de fiabilidade.

Embora a possibilidade do projecto avançar não seja ainda certa, a acontecer, o modelo poderá entrar em produção dentro de dois a três anos e, segundo a Auto Express, deverá ser fabricado no Norte de Inglaterra, preferencialmente perto de um porto marítimo para facilitar a exportação dos veículos. Quanto a preços, os responsáveis por detrás do projecto pretendem que estes estejam em linha com os praticados pela Jaguar Land Rover relativamente ao defunto Defender.