O ator Sylvester Stallone terá sido sondado pela equipa de Trump para integrar a próxima administração dos EUA, como alto responsável pelas atividades culturais — mas já fez saber que não está interessado no cargo. “Estou incrivelmente lisonjeado por ter havido sugestões de que eu poderia envolver-me no National Endowment for the Arts [agência estatal para as atividades culturais]”, disse Stallone num comunicado citado pela imprensa internacional.

Acredito que poderia ser mais eficaz ao direcionar a atenção nacional para os veteranos militares, num esforço para encontrar o emprego remunerado, a habitação adequada e o auxílio financeiro que estes heróis respeitosamente merecem”, acrescenta o comunicado de Stallone.

Stallone tinha sido contactado por alguns republicanos ligados a Donald Trump no sentido de colocar o ator à frente da agência estatal responsável pelo financiamento da cultura. A informação foi confirmada por dois conselheiros de Trump, que sublinharam, de acordo com o The New York Times, que os contactos não foram formais, e que não houve nenhum encontro pessoal entre Trump e Stallone.

Os presidentes republicanos têm tido uma relação complicada com a agência cultural, e o partido já quis, por várias vezes, acabar com ela, por considerar que o dinheiro dos contribuintes não deve ser usado em atividades culturais. Donald Trump ainda não se pronunciou sobre o que pensa fazer com a agência.