Aquecimento Global

Temperaturas no Ártico vão ultrapassar as do Canadá

As temperaturas máximas no Ártico poderão ultrapassar as previstas para o Canadá nos próximos cinco dias, numa subida de 20 graus celsius.

As temperaturas altas têm levado à diminuição do gelo polar

Getty Images

Nos próximos dias, as temperaturas no Ártico deverão ultrapassar os valores normais para esta altura do ano. Esta subida, inédita, está a ser causada pelo aumento crescente da temperatura no Polo Norte (registado pelo segundo ano consecutivo) e que os cientistas consideram ter sido provocada pelas emissões de gases com efeitos de estufa para a atmosfera.

De acordo com a Administração Oceânica e Atmosférica (NOAA) norte-americana, citada pelo jornal The Guardian, as temperaturas máximas no Ártico poderão ultrapassar as previstas para o Canadá nos próximos cinco dias, atingindo um valor bem acima do normal para esta altura do ano (20 graus celsius) e ultrapassando a temperatura de congelamento da água.

Segundo um relatório da NOAA, apresentado este mês de dezembro na reunião anual da União Americana de Geofísica, as temperaturas sem precedentes têm vindo a provocar um atraso no congelamento da água do mar, levando ao derretimento do gelo polar na Gronelândia, uma das zonas mais afetadas. Os efeitos do nível anormalmente baixo de gelo podem ser sentidos até no Oceano Índico e com o passar do tempo poderão estender-se a todo o planeta.

3086

Gráfico que mostra a diminuição de gelo na Gronelândia. Fonte: NOAA

Raramente vimos o Ártico mostrar sinais mais claros, fortes ou pronunciados de um aquecimento persistente e dos seus efeitos no ambiente”, disse Jeremy Mathis, diretor do Programa de Investigação do Ártico da NOAA, que esteve presente durante a reunião.

Os cientistas estão cada vez mais certos de que este aumento se deve às alterações climáticas. Recentemente, uma equipa da Universidade de Melbourne, na Austrália, comparou diferentes simulações do mundo natural, com e sem a influência da emissão de gases de estufa, e concluiu que “as temperaturas registadas no Ártico em novembro e dezembro” não poderiam acontecer num ambiente “onde a influência humana foi removida”.

De acordo com o estudo, coordenado por Andrew King e citado pelo The Guardian, as temperaturas registadas este ano no Ártico tornar-se-ão cada vez mais comuns deixando de ser consideradas um evento “raro”. Segundo os cientistas, a partir de 2040 serão recorrentes, esperando-se que aconteçam de dois em dois anos.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt
Aquecimento Global

O nosso país a afundar /premium

Alberto Gonçalves
1.298

Grosso modo, é Portugal, que se afunda a uma velocidade com que Tuvalu e a Terra e a Time não sonham. E o melhor é que não precisamos de aquecimento global. O descaramento local é suficiente. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)