Vinil, PVC, látex, borracha, verniz ou plástico. Há muitos nomes para a tendência que invadiu os guarda-roupas deste inverno. Todos eles apontam para o mesmo: calças, vestidos, saias e sapatos com brilho, como se tivessem sido cobertos por uma camada de gloss. E se à primeira vista era improvável ter o material de eleição da Catwoman como um dos grandes destaques da estação, a verdade é que o vinil veio para ficar, e está também nas coleções de primavera.

Lacoste, Loewe, Lanvin, Valentino, Kenzo, Isabel Marant e até Chanel foram algumas das grandes casas de moda que resolveram passar uma demão de verniz nas suas coleções de outono/inverno e desenhar vestidos, minissaias com laços e gabardines com um efeito molhado, em tons que foram do obrigatório preto a um vibrante laranja. Comparando com memórias pop do vinil, do vídeo “Oops!… I did it again”, de Britney Spears, ao “Too Funky” de George Michael, a novidade está na forma como os designers conseguiram equilibrar a carga fetishista e futurista do PVC, conjugando-o com peças sóbrias ou retirando-lhe o factor coleante e justo.

https://www.instagram.com/p/BNIKdtzAbjY/

View this post on Instagram

A new wardrobe favorite #courreges

A post shared by Linda Tol (@lindatol_) on

Enquanto a maioria destas peças está já nas prateleiras dos saldos, uma espreitadela às coleções da próxima primavera/verão diz que a tendência resolveu ficar mais uns meses. Dos sacos XL da Balenciaga aos bucket hats da Gucci, passando pelos trenchcoats Proeza Schouler e os casacos Dries Van Noten, nos próximos meses a roupa vai continuar a ir à bolsa da maquilhagem e a levar uma camada de gloss e verniz em cima.

View this post on Instagram

Backstage at Proenza Schouler Spring/Summer 2017

A post shared by Tommy Ton (@tommyton) on

View this post on Instagram

Dries Van Noten Spring/Summer 2017

A post shared by Tommy Ton (@tommyton) on