Startups

Costa anuncia “Startup Visa” para jovens empreendedores indianos

623

O primeiro-ministro anunciou que vai adotar um programa de facilitação de vistos destinado a jovens indianos empreendedores em startups ou em setores ligados à tecnologia de informação.

António Costa referiu-se a esta medida num encontro de startups portuguesas e indianas no Instituto Tecnológico de Bangalore

TIAGO PETINGA/LUSA

O primeiro-ministro anunciou, esta segunda-feira, que o Governo português vai adotar um programa de facilitação de vistos destinado a jovens indianos, o “Startup Visa”, abrangendo universitários empreendedores em startups ou em setores ligados às tecnologias de informação. António Costa referiu-se a esta medida, num encontro de startups (empresas em início de atividade) portuguesas e indianas no Instituto Tecnológico de Bangalore, no qual também discursaram o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros da Índia, Shri Akbar.

Durante o evento, foi assinado um acordo entre o Startup Portugal e a Invest India para promover um ambiente de negócios mais favorável entre os dois países; estabelecer orientações conjuntas para as startups; promover uma cooperação entre investidores, universidades, incubadoras, consultores e o governo português e indiano para tornar mais robusto o ecossistema de startups nos dois países, apoiar as empresas durante o seu ciclo de vida, com especial enfoque em questões como a obtenção de investimento, expansão de mercado, aconselhamento de negócios, comercialização de tecnologias, entre outros.

O secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, explicou à agência Lusa que os jovens indianos já dispõem destas facilidades de instalação em Londres (Reino Unido) e em Silicon Valley (Califórnia, Estados Unidos) e a ideia é permitir que Portugal possa assumir-se como um novo polo de opção. O “Startup Visa” foi desenhado para ajudar quem quiser lançar uma empresa em Portugal, facilitando o seu acesso e estadia no país.

João Vasconcelos explicou ainda que “mais de 700 empreendedores viajaram da Índia para Portugal para participarem na Web Summit, em novembro. Isto ajudou-nos a perceber como Lisboa se está a tornar uma cidade tão competitiva como Londres ou São Francisco, quando o assunto é escolher outro páis para lançar uma empresa”.

Neste terceiro de seis dias de visita oficial à Índia – em que Costa já por duas vezes foi vestido com o traje de honra tradicional do Estado de Karnataka (turbante, colar de flores, capa e bengala) -, o líder do executivo português manifestou a intenção de dar continuidade à forte presença registada por jovens indianos de startups na última Web Summit em Lisboa.

Estamos a preparar um startup visa destinado a empreendedores indianos e a jovens quadros graduados na área das tecnologias de comunicação e informação. Tal facilitará a possibilidade de residirem e iniciarem negócios em Portugal”, salientou António Costa.

A Índia, de acordo com estimativas de diversas instituições internacionais, é já o terceiro país mundial em termos de número de startups. Depois de assinado um memorando de entendimento entre a Startup Portugal e a Startup Índia, o primeiro-ministro deixou um apelo para que os jovens indianos tirem partido desta medida de facilitação de vistos.

“Portugal tem uma longa tradição de tolerância e de abertura ao mundo, algo que tem sido reconhecido internacionalmente. A capacidade de interação entre pessoas de diferentes origens, culturas e religiões faz parte do DNA de Portugal”, sustentou o primeiro-ministro. Na sua intervenção, o primeiro-ministro referiu-se igualmente a medidas já em curso no país, como o programa Startup Portugal, destinado a jovens empreendedores.

Penso que Portugal é o país ideal para vocês testarem as vossas inovações, eventualmente falharem e testarem de novo até serem bem sucedidos. Fui testemunha da atmosfera vibrante que se registou durante os dias de Web Summit em Lisboa – uma cidade que tem como lema construir pontes e não muros”, apontou ainda António Costa.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros da Índia fez uma intervenção que mereceu longos aplausos de uma plateia sobretudo composta por jovens empreendedores. “Este é o momento de anunciar a mais relevante startup do mundo: A startup entre Portugal e a Índia”, disse Shri Ansari. O membro do executivo indiano defendeu que não se está “perante um dicionário de palavras” sem consequências práticas e manifestou-se confiante que a parceria entre Portugal e a Índia “marcará as primeiras décadas do século XXI”. “O navegador português não sabe o que esperar, mas sabia que tinha de começar. No presente, se nós subestimamos sempre aquilo que podemos fazer num ano, então nem sequer conseguimos imaginar o que podermos fazer numa década”, declarou, recebendo de novo palmas.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)